ALBUM REVIEW: f(x) – Red Light

Após lançarem em 2013 um segundo álbum de estúdio bem forte, f(x) sumiu da face da terra por mais um ano. Agora, elas voltaram do nada com seu terceiro álbum. Será ele bom o suficiente pra segurar o inevitável sumiço de mais um ano delas após a divulgação de Red Light? Meus vinte centavos tão aí embaixo, veja se você concorda comigo. ou. não. @__@

Pra Red Light, como eu acho que vocês já sabem, a SM apostou em algumas faixas compradas e em outras produzidas especificamente pra elas por produtores de fora da Coreia, tipo Teddy Riley, que já produziu pra todo mundo no jogo e é praticamente à prova de balas. O lead single não é dele, mas é um farofão tão internacional quanto uma produção com sua assinatura:

RED LIGHT, como disse no meu review do clipe, apresenta uma introdução seca e com um grind industrial bem legal, mas que é jogado pra escanteio pra priorizar o choque de uma troca de melodia sem pé nem cabeça para o refrão. Portanto, Red Light é uma bagunça (genial, mas uma bagunça), mas o breakdown funciona tão bem que consegue salvar a música do estranhamento total. Ela está crescendo dia após dia em mim (é possível adquirir a síndrome de Estocolmo sendo refém de uma música? Porque é tipo isso que está rolando, tô me apaixonando por ela à força mesmo).

Seguindo o caos épico de Red Light temos uma batida étnica (isso é indiano? parece) e constante com MILK. Eu esperava um refrão mais marcante pra faixa, mas ela ainda assim é ~funky e groovy. Teddy Riley tá de parabéns por criar isso aqui, funciona maravilhosamente bem e merecia clipe. E essa tal de KENZIE que escreveu a letra pra faixa tá mais de parabéns ainda, uma letra safada dessas e com duplo sentido bem óbvio feito essa é algo raro de se ver no k-pop (até mesmo sexy concepts são bem diretos e tratam basicamente de uma moçoila subserviente que fará de tudo para agradar um macho). Milk não tem o impacto da title track, mas tá ótimo. Dá pra ver facilmente por que foi escolhida como promotional single nos programas de auditório.

Se Milk não parecia Teddy Riley, a faixa seguinte sim tem totalmente a cara dele. Curiosamente, ele não tem envolvimento algum nessa BUTTERFLY, um downtempo bem gostoso, e com uma musicalidade totalmente distinta do que veio até aqui. Isso é digno de nota por sinal: até agora, cada faixa teve sua identidade, e eu não poderia estar mais satisfeito com isso. Butterfly tá uma mistura de Britney circa Blackout com um 80s bem feito (uma coisa meio A-HA por assim dizer), só que cantado por minas. Outro destaque.

As coisas afundam um pouco na faixa nº4, RAINBOW, que apresenta uma intro horrível que infelizmente também serve de refrão pra música (os “kongdak kongdak kongdak mujigae” de Amber não colam como deveriam). Algo me diz que povão vai adorar essa aqui, mas comigo não colou muito não. Ao menos é curtinha e não chega a cansar. É de longe a mais fraca até agora, mas mais uma vez: apresenta uma musicalidade totalmente diferente das faixas anteriores, e eu sou totalmente a favor disso.

ALL NIGHT é o follow-up de Rainbow e AÍ SIM, MOTHERFUCKER. Teddy Riley entregou retrô realness pra elas sem parecer fucking Brave Brothers, o câncer do k-pop, e por isso eu já agradeço (por isso e por dar pra RaNia um monte de música boa, uma pena que floparam). All Night definitivamente é outro destaque do álbum, mesmo sem ter aquela sonoridade diferenciada de f(x). Isso poderia virar um sexy concept de algum grupo de segundo escalão sem maiores problemas e viraria hit. Mas mesmo não tendo a cara delas, funciona que é uma beleza. CADÊ AMBER FAZENDO SEXY CONCEPT, HEIN, SM?

O álbum está fortíssimo até aqui, então Red Light pode se dar ao luxo de arremessar uns fillers na nossa direção. VACANCE por exemplo é boazinha, aceitável. Honestamente não tenho muito a dizer sobre ela, tirando talvez que a faixa some em comparação a All Night. Isso aqui é f(x) básico, todo álbum delas tem uma faixa com musicalidade similar a essa. Rola um crescente bem legal nos momentos finais da música, entretanto. Daí vamos direto para f(x) servindo um pouco de Nakata realness com os sintetizadores saídos de uma fase de Sonic em SPIT IT OUT. É outra boa filler e que, mais uma vez, cresce pouco a pouco e fica mais memorável em sua reta final.

Victoria fazendo cosplay de Minah do Girl’s Day! \o\

Curtindo bastante Red Light até agora. Nada chegou perto das três primeiras faixas, entretanto. Por conta disso o álbum está perdendo um pouco de força e precisa de algo ótimo rapidamenteBOOM BANG BOOM não é a música ótima que essa segunda metade do álbum está precisando, mas merecia clipe só pra ficarmos frustrados pela falta de twerk no refrão. Outra faixa que brinca com estrutura, mas não de maneira tão exagerada quanto Red Light. Gostei até, e tenho certeza que aquele “i love this song” no último verso será hit entre as pães com ovo .

DRACULA esperadamente brinca com trovões e sons característicos das trilhas sonoras de filmes de terror bregas e véios. Pelo que eu tenho olhado online, o povo não está curtindo muito essa aqui não, mas pra mim é uma das faixas mais distintas e divertidas do álbum, de fato adicionando algo a discografia delas ao invés de ser mais uma das “faixas legaizinhas, mas que poderiam ser mais memoráveis”. Sem contar que isso aqui casa muito bem com o estilo de todos os teasers, então ponto pra SM.

Yudi fazendo uma ponta nos teasers, melhor pessoa

Pra fechar o álbum, temos mais duas faixas. Entre elas, SUMMER LOVER. Vejam o nome disso. Vocês já sabem como será a faixa antes mesmo de darem play nela. E quando finalmente clicarem no play, vocês verão que a musicalidade é aquilo lá mesmo. Me choca que isso tenha sido produzido por ❤ Amberzão ❤ , já que eu estava esperando algo totalmente diferente vindo dela. Poisé, vejam só. Mas como Red Light não apresentou balada alguma e nem mesmo uma midtempo, Summer Lover parece menos repetição mais-do-mesmo e se destaca do geral (se destaca talvez até demais, mesmo problema que tive com a faixa bossa nova de Afterschool em Dress to Kill).

PAPER HEART fecha o álbum e tanto em temática quanto em execução se assemelha ao trabalho de grupos femininos e solistas do country americano (pensem em Carrie Underwood). É um final forte para o álbum, mas não chega perto de Ending Page do Pink Tape, por exemplo. Essa talvez seja a única falha de Red Light: faltaram mais músicas realmente impactantes. Mas como eu sempre digo, com a SM isso é mais do que esperado, já que eles só promovem o lead single e CABÔ O ÁLBUM.

Mas ainda assim, Red Light está muito acima do que eu espero de qualquer ato da SM, a consistência e o fato de não existirem faixas ruins (no máximo esquecíveis) é admirável e totalmente separa f(x) do resto do bando dentro do k-pop. Red Light é bom assim. É um trabalho coeso, divertido e com faixas que soam distintas entre si, algo que eu considero crucial pra um release. (especialmente num LP).

Acho que é seguro dizer que esse é o melhor trabalho delas até hoje, e que é realmente uma merda que o álbum não será divulgado nem de longe o suficiente, porque dava pra se tirar uns quatro ou cinco singles ótimos daqui e promovê-los por um ano todo, mas não é assim que a Coreia funciona, né? Então as gatas logo logo vão sumir no mundo de novo. Mas eu meio que prefiro assim: antes elas aparecerem por um mês no ano com música boa e depois sumirem do que estarem sempre presentes lançando vários EPs bosta feito suas favoritas. *O*

Enfim, Red Light não é um álbum perfeito, mas merece pelo menos um novezão bem sólido. Com mais duas faixas acima da média ao invés de fillers, talvez fosse até um dez. Mas do jeito que está, nine it is.

MAIS f(x): PINK TAPE.

Anúncios

29 comentários em “ALBUM REVIEW: f(x) – Red Light

  1. Rainbow é errrr mas eu gostei só porque é a versão delas de La Conga mesmo.

    Gostei do review, concordo com bastante coisa mas ainda prefiro o Pink Tape, pelo menos por enquanto.

    Dei 4 de 5 luas negonas de emoji na minha avaliação.

  2. Concordo plenamente com você, Red Light é um trabalho digno, de fato não existem músicas ruins (apenas esquecíveis :p). Confesso que não esperava muito desse álbum, o máximo que eu previa eram umas duas ou três músicas legais e o resto seria tudo de preenchimento. Porém as gatas pisaram na minha cara e entregaram essa delícia. Pra mim essa bagaça foi um dos melhores comeback do ano.

  3. A lista de destaques foram minhas preferidas tbm… diferente do review de Pink Tape haha.
    MILK ta no coração já. ❤
    É realmente triste elas aparecerem tao pouco… mas é o que vc disse, melhor assim e com conteudo bom do que 5 comebacks por semestre com coisas genéricas

    1. Não sai dinheiro de MV novo, porque quem iria comprar o álbum já comprou no primeiro mês de vendas, então seria só perda de dinheiro por fan service mesmo (coisa que a SM simplesmente não faz).

  4. Ainda não me apaixonei pelo álbum, mas sem dúvidas já é o melhor do ano (para mim).

    Curti muito Dracula e MILK, essa última super merecia um MV estilo Bounce da Iggy Azalea. E pela primeira vez desde que entrei no mundo kpop, vejo um álbum que apresenta músicas que condizem com o conceitos dos teaser, achei Dracula, Red Light, Butterfly e até mesmo Rainbow bem “darks” (pro padrão coreba).

    Achei All Night e Vacance SUPER dispensáveis, parecem mais que foram demos descartadas do Sô Niô Xí Dê.

  5. achei o álbum tão bom quanto o Pink Tape ❤

    só eu achei que elas investiram em músicas mais 'faladas'/rap, acho que é a falta de baladas e high notes fora de lugar xD

    ouvi o álbum duas vezes só, mas Milk, Dracula e Spit It Out se destacarm pra mim, fora claro Red Light já viciei (adoro aqueles gritinhos alá Street Fighter antes do refrão haha)

    ps: vale a pena baixar o material delas antes do Pink Tape?? Só conheci elas em Eletrick Shock, mas não baixei o ep

    1. Acho o Pinocchio/Hot Summer bem qualquer coisa, com exceção das músicas de trabalho, o resto parece mais um monte de músicas descartadas do SNSD que o f(x) regravou.

      O NU ABO é BEM bacana, muito legal mesmo. Vale a pena se jogar sem cuspe mesmo nesse mini.

      1. O EP de Electric Shock é BEM esquecível, pode pular esse. Pinocchio/Hot Summer é ok (vale pelos singles como o Luiz disse). O Nu ABO todo mundo fala bem, mas eu nunca dei muita atenção pra ele, então nem sei. @_@

  6. Ai por isso que eu adoro esse site… acabei de ler o “review” do tudocapope… “Ai na milk eu gostei da voz do gatinho, mas nao gostei na barulho da arma >.< nyan"… Ah por favor, eu nao pago internet pra ler esse tipo de comentário… meus parabéns pelo seu review, que eu dei mais valor agora.

  7. Até agora posso dizer que foi de longe meu álbum favorito no k-pop esse ano. O resto foi muito single bacana com outras faixas méh só pra preencher espaço.

COMENTÁRIOS:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s