MINI ALBUM REVIEW: HA:TFELT – Me?

Daí que minha mixtape de julho ainda não saiu porque este foi o melhor e mais movimentado mês do ano até agora, com release atrás de release. E eu sendo preguiçoso e não querendo parar de ouvir as coisas que o Nakata lançou no começo do mês, ainda nem me dei ao trabalho de ouvir todos os EPs coreanos da segunda quinzena de julho. Mas eis que eu finalmente ouvi “Me?” da Yenny e me senti compelido a escrever sobre ele, de tanto que curti. Vejam aew caso vocês ainda não tenham baixado o EP da gata.

Pra ser honesto, eu não estava esperando nada desse EP por simplesmente não acompanhar muito as Wonder Girls pra começo de conversa. Eu nem sei diferenciar todas por nome, por exemplo. Então eu não estava numa grande expectativa pra ouvir ME?, o que talvez tenha influenciado na minha tremenda surpresa com a qualidade do projeto e com o fato de Yenny ter escrito/produzido tudo sozinha. Opa, Yenny não, HA:TFELT. Sim, a alcunha que ela escolheu é estúpida pra caralho, mas a justificativa tá válida:

“Eu escrevi e compus todas as músicas com o compositor Lee Woo Min em Nova York. E já que o álbum foi feito em Nova York, a cidade que me serviu de inspiração, eu estou tremendamente satisfeita com o resultado final. Porque é um álbum que destaca minha música em particular, resolvi não utilizar meu nome e lançar um solo da “Yenny das Wonder Girls”. Eu achei que seria mais apropriado e honesto apresentar-me com meu codinome de compositora, HA:TFELT. Ele não soará como nada que vocês tenham ouvido de mim antes. São faixas que eu criei com cuidado e para quais nutro muito carinho”.

Basicamente, homegirl quer usar um codinome porque sua sonoridade em particular se devia muito da norma estabelecida pelo seu grupo de origem. Acho corajoso, acho coerente. O problema é que o codinome que você escolheu tá uma bosta, Yenny. Aí não dá. Eu entendo o que você quis fazer, mas esse nome tá muito ruim. Ao menos o trabalho em si compensa, como vocês verão. @_@

Iron Girl abre o EP e é uma colaboração com Lim, também das Wonder Girls. Os raps dela por sinal são a primeira coisa que ouvimos após uma intro fantasmagórica em que o vocal de Yenny estão tratados para parecerem  um auto falante ao fundo ou uma merda do tipo. O contraste entre o rap de Lim e os violões e o clima americana da faixa funcionam muito bem, e quando o refrão finalmente chega Iron Girl já se fez valer, porque é algo totalmente vibrante e inesperado. O que fica claro desde este momento é que esse EP não se tratará de K-Pop, algo que fica ainda mais evidente na segunda faixa, Truth.

Honestamente, acho que nada coreano que eu tenha ouvido esse ano teve tanta ~alma~ quanto Truth. Talvez Fervor da Baek JiYeon, mas só também. A letra se resume a Yenny exigindo a verdade de um mano com quem ela está prestes a terminar após oito horas diretas de DR. O relacionamento já foi pro ralo, mas ela ainda assim quer ouvir a verdade sair da boca dele pra variar. O delivery dela é absolutamente incrível e passional, como tem que ser pra algo assim funcionar de verdade.

Continuando a narrativa de Truth, na terceira faixa e lead single Ain’t Nobody, Yenny enlouquece de vez quando seu ex-macho vai atrás de outra. Isso pode ser visto não apenas na letra, mas também na melodia (que tenta se manter controlada nos versos mas absolutamente perde a cabeça nos refrões) e no clipe (com ela dançando loucaça também somente durante os refrões). Essa faixa é uma vencedora é definitivamente já está entre os competidores pra melhor música do ano. Pra fechar tudo ainda temos aqueles “eh-eh-eh-oh-eh” após cada refrão que casam perfeitamente com uma descida até o chão twerking. ❤

Yenny resolve deixar de lado a dor de corno por um momento em Bond. Eu curiosamente quando vi a tracklist logo pensei “seria legal se isso fosse uma faixa sensual e James Bond-esca ao invés de bond ter a ver com enlace. E daí eu ouço a faixa e… dis bitch fez exatamente o que eu queria. Na verdade, ela fez até mais, já que nunca que eu imaginaria que alguém na face da terra fosse ter a audácia de samplear o tema de 007 para uma faixa. Crédito onde crédito é merecido, galera. @_@

Para a faixa seguinte, Wherever Together, Yenny liga sua Calvin Harris interior para narrar a euforia de um novo amor, com a gata mandando umas coisas bem fumadas tipo “I am you & You are meee”. O clima é exatamente o da promo pic aí de cima, parece que Yenny fumou uns beck e resolveu sair rodopiando pela cidade. Os breaks por toda a música são realmente borbulhantes/cintilantes/aqueles-adjetivos-intraduzíveis-em-inglês.

Mudando o clima mais uma vez temos Peter Pan, uma faixa intimista e acompanhada apenas por um violão em que Yenny reflete sobre a inocência de um amor adolescente or some shit. É indie folk, gente. A força da faixa se encontra totalmente no vocal dela e em como ele cresce verso a verso. É uma faixa bonitinha, mas é de longe a mais esquecível de ME? até aqui.

Fechando o EP, temos Nothing Lasts Forever, que segue a estrutura de Peter Pan e substitui o violão por um piano, além de deixar a masterização tradicional de lado para uma sonoridade similar a de uma faixa gravada via microfone de um notebook. Bizarro e ousado, mas funciona. A temática das duas últimas faixas é similar, mas de alguma maneira isso não prejudica ME? de maneira alguma, porque no geral a tracklist funciona perfeitamente e ajuda cada faixa a brilhar individualmente, criando ainda por cima uma narrativa geral que une todas tematicamente (ela começando forte e independente em Iron Girl, enlouquecendo quando seu relacionamento implode e depois refletindo sobre ele de maneira agridoce e melancólica)..

Honestamente, não há do que se reclamar aqui. Talvez apenas de que ME? tem 28min e que por conta de uma mísera faixa ele não pode ser considerado um álbum propriamente dito. Yenny poderia ter gravado uma intro em que ela gemesse por cima de um instrumental conceitual por 2min ou ainda poderia ter colocado a icônica ❤ ME AME FEITO DINHEIRO FEAT AKON ❤ de bonus track for the lolz, só pra já debutar com um LP. Mas tudo bem. Eu só não entendo a urticária que álbuns causam em coreanos em geral.

No geral, ME? é um álbum lindo e sem comparações no k-pop. Pra falarmos de Yenny agora (ou relacionarmos artistas similares no last.fm) precisaríamos olhar pros países nórdicos e pro pop feito lá. Loreen, Robyn, Margaret Berger e todas aquelas escandinavas precisam. se. preparar, porque Yenny está fazendo um passe para ceifar a peruca de todas elas com seu álbum irretocável. Agora, falando de nota: meu salário caiu hoje e eu achei a icônica paçoquita cremosa pra vender perto de casa, então não ficarei hating on a bitch gratuitamente. A tracklist tá coerente, as faixas são todas acima da média e esse é um trabalho autoral. Não há do que se reclamar. Toma aí teu dez, gostosa. Você tá merecendo muito. ❤

DESTAQUES: Truth, Ain’t Nobody, Bond (feat. Beenzino) e Wherever Together.

MEIA BOCA: sua favorita, em comparação a Yenny.

Anúncios

26 comentários em “MINI ALBUM REVIEW: HA:TFELT – Me?

  1. Acho que é o primeiro álbum aqui do blog que ganha um 10/10 :v

    A Yenny merece, fez um ótimo trabalho com o álbum. Só esperava uma música a mais…pra mim o álbum tá meio ‘incompleto’, sei lá x.x

    1. Uma última faixa já faria ME? passar de 30min de duração, se tornando um LP propriamente dito. Provavelmente a diretriz do JYP era lançar um EP, o que deve ter influenciado bastante. @_@

  2. To no chão pq é o primeiro album aqui que eu vejo 10/10. Queria ver essa bitch perfomar Bond vestida como as femme fatalle dos anos 60. Achei putamente criativo, afinal, ela pegou sobre um personagem sedutor que come todo mundo elenco e fez uma musica sobre isso. Já amo ela :V
    Amei esse album pq dá pra ver o sentimento dela cantando essa musica, principalmente quando ela endoida no refrão de Ain’t Nobody.

  3. Eu só tinha ouvido Ain’t Nobody, mas ao ouvir trechos das outras músicas do álbum agora, acho que vou baixar essa delícia @_@ O SAMPLE DE 007 ❤

  4. Junto com AKMU, virou meu album preferido! Minhas favoritas sao Peter Pan, Ain’t Nobody e Truth.
    E eu até que nao achei o nome dela tão ruim assim… hahahaha repete umas vezes em voz alta que melhora.
    A molier está de parabéns mesmo! ❤

  5. BRUNXYZ, depois vê lá o canal xexelendo da LODIA, porque elas tão lançando um monte de batidas de trem, usando o argumento de que é DEMO (e que nunca vão terminar Õ/).

    Dá pra extrair umas músicas muito boas, que saem da zona de conforto Kpop/Batida David Guetta de I got a Feeling.

    Se elas lançarem tudo como faixas consistentes, sem os lapsos de voz/sintetizador das Demos, dará um cd com real qualidade.

    Na verdade ninguém liga pra Effy, Effie, F, sei lá o nome da quenga. A Elena tá brilhando sozinha, obg.

  6. ”meu salário caiu hoje e eu achei a icônica paçoquita cremosa pra vender perto de casa, então não ficarei hating on a bitch gratuitamente.” Tô rindo pouco dessa parte.

  7. Também não era de acompanhar as Wonder Girls, mas esse álbum tá maravilhoso,tá no repeat desde que baixei.

    Quem sabe as gravadoras não comecem a permitir que seus idols se envolvam mais na criação dos eps/músicas/clipes, foi uma grande surpresa.

    Quanto ao sample de 007, Yenny tentou, mas ainda não consegiu chegar nesse nível aqui -t

  8. Esse álbum <3. O estilo musical dele é parecido com o que eu costumo ouvir (quando não estou ouvindo k-pop). É realmente bom ter algo assim por lá.

    E como assim você achou a paçoquita cremosa? ~inveja~ Eu vou ter que comprar online. Não to afim de pegar ônibus para ir na cidade do lado e comprar ;;

      1. Consolação? Teria que pegar trólebus e metro só pra comprar. Passagem ta cara (perdi o bilhete único ç-ç). Acho que vou comprar na Malu Doces mesmo -q. Mas obrigada de qualquer forma ❤

  9. O legal é que as suas músicas de destaque foram as minhas músicas de destaque, então nisso a gente combinou hahahahaha

    Fora isso, eu devo dizer que fiquei cinco vezes mais crítica depois que achei o meu álbum perfeito e preferido, então para olhar pra trabalhos novos, eu tento voltar à antes disso pra não os comparar com o dito cujo. Fato onde tenha fato: Yenny escolheu um nome de merda pra solo e um nome de merda pro EP, mas ele em si não decepcionou em nada e me fez pagar a língua, então to super contente com isso.

    Ainda sim, tenho urticárias a baladas NÃO SEI O PORQUE.

    Btw, nem FEEL da Namie que você amou ganhou dez. To vendo que essa aí vai dominar seu top50 de 2014 hahahahahaha

COMENTÁRIOS:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s