ALBUM REVIEW: AMURO NAMIE – _GENIC

Após semanas se arrastarem desde o lifechanging album trial que Namie largou como se fosse nada no youtube e de leak após leak, finalmente temos o _genic inteiro em nossas vidas. O álbum ainda não começou a vender no Japão para sabermos se todos os leaks e a estratégia de beyoncézar o _genic afetarão as vendas ou não, mas em pouco tempo saberemos se ele será capaz de superar os 250mil do Barada ao final de sua primeira semana ou não. Aguardemos.

Deixando as vendas de lado, vamos falar do álbum em si. A decisão de deixar os dois singles pós-FEEL e suas B-sides ótimas de lado foi arriscada, mas uma decisão obviamente calculada. Namie já garantiu que seus álbuns continuam vendendo bem mesmo sem ela botar os pés num variety show ou num Music Station da vida tem anos. Agora ela quer testar se seus álbuns vendem bem mesmo sem divulgação alguma. Singles físicos precedendo um álbum são parte vital da máquina fonográfica japonesa, então se Namie conseguir vender mesmo descartando todos os seus singles que deveriam estar nesse álbum, vocês podem ter certeza que essa mulher não lançará outro single físico NUNCA MAIS. Mas pra que isso funcione, o material 100% inédito tem que estar on point, não é mesmo? Testemos isso a partir de já com uma track by track review. Venham. @__@

Photogenic, a quase title track não fosse a decisão questionável de nomear o álbum com MEIA PALAVRA E UM UNDERLINE, é absolutamente incrível e quase bate Alive como melhor intro de Namie (eu disse *quase*). A backtrack, Namie egocêntrica narrando como ela tá gata e fotogênica aos quarenta enquanto você taí todo fodido aos 20, os icônicos “Put My Picture On The WAR / Everyone Knows I’m BEAUTY FAR”… tudo sobre Photogenic é excelente tirando o fato dela não ter ganho um MV ao invés de, digamos, Birthday. Paciência. Moving On.

Time Has Come parece algo que estaria no Uncontrolled, e eu digo isso porque aquele álbum como um todo deixou a desejar, com várias faixas sólidas, mas poucos destaques. É esse o clima de Time Has Come também, o tipo de coisa que funciona no contexto de um álbum, mas que por si só não move montanhas. A oposição entre os versos mais suaves no piano e o refrão de EDM funciona, mas eu realmente não consigo entender por que ela está sanduichada entre Photogenic e Golden Touch, que dividem a mesma sonoridade. Time Has Come meio que quebrou o clima. Talvez estar mais pra frente na tracklist fizesse a faixa funcionar melhor. Oh, well.

 

Golden Touch é provavelmente O DESTAQUE ABSOLUTO do álbum e uma das melhores coisas que Namie já gravou em sua vida. E ela não está toda em inglês (acho), o que mata aquela vontade incontrolável de tentar entender tudo o que ela está dizendo e nos deixa apreciar melhor a melodia, o instrumental glam e ainda deixa o refrão mais compreensível, então é uma pena que mais uma vez Namie não tenha balanceado melhor japonês/inglês no álbum, porque a fluência dela em inglês não melhorou nada desde o FEEL. TÁ, EU OBVIAMENTE TÔ FALANDO MERDA, porque o Namiengrish é uma das razões pela qual ainda se vale a pena viver, mas vamos lá: ele é uma merda se Namie de fato tem pretensões globais. Não vou falar nada do lyric video MV porque não vou ficar me repetindo a toa, só vou dizer que ele é bonitinho e inspirado, mas que Golden Touch merecia mais.

 

Birthday como fillerzão é inofensiva, mas como ~~single~~ é meio que… bem, tosca. Afinal, é basicamente uma faixa perdida de Katy Perry (nem tanto pela temática, mas pela backtrack mesmo, que estaria em casa perto de coisas feito TGIF) cantada em um engrish sofrível. E ainda teve aquele PV tosquíssimo em que Namie nem se deu ao trabalho de dublar direito e atingir suas marcas no conceito de um take só satisfatoriamente. Bem, pensando melhor aqui, acho que esses são motivos para amar Birthday ao invés de debochar dela, não é mesmo? :v

It é ótima. Os assobios pareados com o piano criam uma atmosfera divertida, e a letra que eu *acho* estar toda em inglês casa bem com a backtrack. A duração curtinha só faz bem, mas filler é filler, né. O álbum segue com Scream, que já era um dos destaques do _genic desde o album trial só pela presença do atemporal “I GOT MY BRACK DRESS ON”, e ouvindo-a inteira em 320kbs (ao invés da qualidade irrisória do leak) Scream se torna ainda melhor porque eu sei que ela está toda em inglês e eu não faço ideia do que ela está dizendo além de “can you feel it?”. O fato dela GRITAR com gosto de maneira não vista desde Supernatural Love deixa tudo ainda melhor. Kween. ❤

 

 Deixando o lado farofa de Namie e voltando pro lado pseudo R&B dela, temos Fashionista. Sério, que música boa. FEEL é provavelmente top3 álbuns dela, mas fazia anos que Namie não entregava a sonoridade presente aqui e em outros destaques feito Golden Touch e Photogenic, então esta é uma mudança apreciada, ao menos por mim. Pra minha alegria, ela também tá gritando com gosto aqui e fazendo uso de sua voz sem alcance algum. ❤ Pra coroar uma das melhores faixas do ano até aqui, esse rap aqui, que você obviamente não sabia estar 100% em inglês:

1, 2, 3 and I give it to ya
Give you 4, 5, 6 and I take it to ya
Let me take it to ya, let me break it to ya
Got my real diamond pumps and I’m breakin’ it up
Struttin’, showin’ my bad girl side
Got caviar nails right on me like, worldwide
‘Cause girls just wanna have some fun!

Ahein. Vamos em frente para Fly, que honestamente me lembra bastante do Kiss My Lips. Assim como boa parte do último da BoA, é pop direto e sutil e com foco na melodia ao invés de deixar isso de lado pra tentar ser conceitual com merdastep, breaks de trap mascarados de refrões e qualquer que seja a próxima merda que infestará o pop desnecessariamente na tentativa de ser edgy. Uma filler maravilhosa. Continuando, vamos para o ABSOLUTO DESTAQUE DA DELÍCIA INTEIRA, B Who I Want To B, que apresenta uma versão CORRUPTED MIDI FILE de Take On Me do A-HA (ou qualquer que seja a faixa de new wave 80s que SOPHIE usou de inspiração pra isso aqui) e é um feat de Namie com fucking Hatsune Miku ao invés do anagrama original “U hum Sneak It” ou sei lá qual era o nome.

O que eu sei é que fiquei chocado desse “”feat”” ter ficado em segredo apesar dos leaks. Minha reação inicial foi achar que Namie gastou toda sua energia social em I’m Not Yours da Jolin e portanto agora só consegue colaborar com vocaloids tosquíssimos ao invés de seres humanos. E enquanto isso é provavelmente verdade, B Who I Want To B funciona, nem que seja pela piada e pela AUDÁCIA dessa mulher em ligar o foda-se e lançar uma merda dessas. Amei essa bosta. Ainda não sei se pra valer ou ironicamente, mas isso realmente importa no fim das contas?

 

Agora vamos para o outro ABSOLUTO DESTAQUE DA DELÍCIA INTEIRA (sim, estamos no terceiro ABSOLUTO DESTAQUE já), no caso, a Hands On Me #revamped para 2015 que Zedd deu pra Namie (ou ela pegou da pool de demos dele, foda-se), Stranger. Temos os batuques misturados com o EDM enquanto Namie narra como ela quer subir e descer na piroca de um estranho, tudo tendo como acompanhamento visual a recriação da abertura de ANTM10 no PV. Tyra is dead. Obviamente a melhor farofa do ano inquestionavelmente, e o 320kbs só deixou Stranger ainda melhor. Minha vontade agora é botar as mãos num FLACzão de 500mb e estuprar uma caixa de som com isso aqui no velório dos kumiko navy e ayutards. ❤

É difícil ser o follow up da slayage absoluta que é o combo SER QUEM EU QUERO SER + ESTRANHO, então os responsáveis pela tracklist acertaram enfiando essa bobagem vergonhosa que é Every Woman, que eu imagino falar sobre girl power… ou algo nessa linha. Vale pelo trash do engrish dela estar especialmente horrível nessa aqui e pelo toque árabe que não batia cartão numa faixa dela desde Want Me, Want Me. Continuando com Space Invader, essa aqui me confundiu porque eu obviamente estava kyary biased e achava que seria uma merda bizarríssima sobre ETs, quando na verdade é uma música sobre uma pessoa grudenta e carente invadir o espaço privado dela, E NÃO sobre alienígenas. Pelo menos eu entendi 100% do refrão de primeira, o que deve ser um recorde pra uma faixa dela. Parabéns, Namie.

 

Anything funcionou bem como single mela cueca, mas a posição na tracklist é meio bizarra, porque a transição do pancadão de Stranger pras duas fillers alegres e depois pra isso aqui não funcionou muito bem. Mas isso iria acontecer de qualquer maneira imagino eu, sendo Anything a única balada do álbum cercada de números uptempo. Pelo menos ela serve muito bem de ponte para What I Did For Love, que David Guetta preguiçosamente deu pra Namie depois de Emeli Sandé já tê-la lançado como single. Not cute. Pelo menos temos aqui O MELHOR INGLÊS DA VIDA DE NAMIE. VAI LÁ PEGAR SEU TOEFL 120, MULHER. Além disso é um final mais que apropriado para o álbum, que começou forte e terminou forte.

_genic foi bom do começo ao fim, e tem a honra de não ter absolutamente nenhuma faixa ruim entre as 14 presentes aqui (coisa que o FEEL não pode dizer, já que nele temos Retmi Retchugo). Eu gostei também do fato das faixas apresentarem um equilíbrio entre Namie #kween of hip pop e Namie #kween of farofas. O lado red e o lado velvet dela foram muito bem representados aqui, e _genic é o primeiro álbum dela a apresentar todas as Namies de uma vez só (a Namie das baladas de oito minutos de duração pode ficar em casa, abs). Isso dito, eu sinto que o FEEL teve faixas mais distintas entre si. Nenhuma faixa parecia com a outra nele, enquanto que as fillers do _genic feito Every Woman, Space Invader e It meio que se embolam na memória em retrospecto. Ainda assim não há sequer uma faixa ruim presente aqui, mas por mais que o resultado final seja estelar, _genic não é um álbum pop perfeito. Por pouco, mas não é. E isso não o impede de estar no meu top4 de álbuns dela fácil fácil, e deveria estar no de vocês também. ❤

DESTAQUES: Photogenic, Golden Touch, Scream, Fashionista, B Who I Want To Be, Stranger.

MEIA BOCA: os argumentos de haters de que esse álbum está meia boca por ser pop básico (como se as favoritas deles fossem capazes de entregar básico impecavelmente desse jeito, adeus).

MAIS NAMIE: FEEL / BALLADA / BRIGHTER DAY

PS.: pra quem quiser se chocar com o que está sendo dito nas letras das músicas, elas tão nesse tópico aqui do baidu.

Anúncios

61 comentários em “ALBUM REVIEW: AMURO NAMIE – _GENIC

  1. Obviamente estou em looping desde o dia que vazou completo, não sei mais ouvir outra coisa. Tanto é que ontem vieram jogar Speedrunners aqui em casa e eu deixei o álbum em looping, quando a galera saiu aqui de casa já tinham decorado Photogenic e Golden Touch, teve um até que foi procurar o MV de Golden Touch.
    Rindo até agora com o feat de Hatsune Miku.

  2. Pra mim, Alive é de looooooonge melhor que o _genic inteiro, mas o álbum ao topo, empata.. _genic não tem um destaque absoluto como o FEEL e é mto ‘alegre’.. o FEEL tem Alive, Stardust In My Eyes e Supernatural Love que se destacam e é mais dark.. então _genic pra mim empata com FEEL pq é mais regular.. não consigo decidir ainda qual é melhor.. mas nenhum chega ao chão que o past<FUTURE pisa.
    Uncontrollable não, é Uncontrolled. Haushuas
    Só eu não gostei de Scream? Achei ela a mais fraca do álbum junto com B Who I Want 2 B :\
    Sobre o rap de Fashionista, eu sabia q tava 100% em inglês, mas n fazia ideia do q ela tava cantando hahaha.. pra mim é a melhor do álbum.. me lembra o past<FUTURE pelo instrumental e o quase break final ❤
    Todos ficamos chocados com a Hatsune Miku.. apesar de achar fraca, é a melhor música ever vinda daquele programa inutil que só trouxe personagens inuteis e músicas inuteis.. mas a música com a Namie é tão ruim q vicia @_@ E há boatos q terá MV o.O
    E eu ri da energia social.. Jolin secou a Namie por dentro haha
    Every Woman pra mim é vida.. imagino clipe pra ela com a Namie e 300 dançarinas num palco da Broadway cheia de efeitos de luzes e fogos de artifícios.. acho ela grandiosa à nível do finale do filme Hairspray @_@ Space Invader tbm é vida.. boa demais.. quase me lembra Stardust In My Eyes.. tem o mesmo clipa dark porém com futuro. What I Did For Love na voz dela achei incrível.. um final maravilhoso @_@

    Meu top álbuns da Namie ainda segue firme e forte com past<FUTURE, FEEL/_genic e PLAY :3

        1. Tente arranjar qdo essa revolta do kpop passar onegai @_@

          Aliás, já percebeu q (além da rebolada) o clipe de Fashionista é uma versão melhorada do clipe de BE MY BABY/Megumi no Hito da Kumiko? Haushuas

  3. GENTEE O QUE É ESSE ALBUM !? AMAZING! sério esse feat com a Miku tá OTEMO! TO VICIADA! PQP! Eu sou Ayu stan sim! mas eu to ficando a cada dia mais APAIXONADA por essa molier que eu n dava duas fodas antes… desde FEEL ela está me cativando… pq não deu 10/10 Bruno??

  4. A impressão que dá em todo álbum da Namie since Uncontrolled é que se ela desse 1 foda para o que ela tá colocando no álbum dava pra dar 10/10, mas entendo esse descaso dela pois né, com as enemys lançando A ONE’s e WALK OF MY LIFE’s da vida (Nada contra o álbum da Kumi, mas ele tem 20 faixas e lembro hoje de 3, então…) não ia ligar muito para o que gravar mesmo.

    É praticamente impossível alguém tirar o título de album pop do ano pro _genic no Japão, e como as grandes bitches de Taiwan não devem lançar álbum esse ano, vamos ver se algum grupo de idosas coreanas (cof cof Wonder Girls cof cof) saem do hiatus para lançar algo que bata de frente né

    1. Realmente isso n tem como negar… eu amei o WALK OF MY LIFE, ele está na minha playlist ja tem bastante tempo e olha que eu enjoo bem rápido das músicas, são poucas que sobrevivem kkkk
      E a Ayu… to tentando entender o que ta se passando com ela…desde que ela começou aquele relacionamento com o Manny o trem desandou… eu admiro mto essa mulher…. ela n merece estar por baixo T____T

  5. Eu adorei essa bomba. Sério, que album maravilhoso, eu to com Stranger no Repeat desde que a música vazou, farofão maravilhoso (sim eu to surtada). Um bom começo, definitivamente, para o primeiro album da Namie que eu acompanho o processo de lançamento

  6. Escutando direto! Não importa o que falem de Anything ❤ , aquilo é uma perfeição em forma de música! Como nunca escutei álbum de ninguém em ordem numérica (apenas na MINHA ORDEM!), nunca me senti ofendido com a posição de alguma música na tracklist. Dito isso, continuarei escutando essa música até enjoar (se é que dá pra enjoar). It também é ótima, principalmente pelo comecinho da música como você disse. E óbvio que o glorioso feat. com Vocaloid queen também merece seu destaque! Mas Golden Touch realmente merece a coroa de melhor música.

      1. Aí é que tá: simplesmente escuto de forma absurdamente aleatória (no sentido mais cru da palavra)! Assim não corro o risco de achar uma música ruim por causa da posição dela na tracklist (se bem que nunca liguei pra isso mesmo. Não me importo de escutar uma música animadinha e logo após escutar aquela baladinha que fala de um romance água com açúcar com tendências suicidas)

  7. Amei esse álbum, foi melhor do que eu esperava.
    É incrível como todo mundo sabe que o feat com a Miku foi uma bosta mas ainda assim todo mundo gostou! A única coisa que me incomoda é que antes dos clipes serem lançados, um modelo havia postado uma foto da Namie com uma roupa preto e branca rodeada por caras com espadas e um cavalo. Todos pensavam que iam ser do clipe de fashionista, mas a única coisa que apareceu foram dois lutadores de esgrima. Será que é algum clipe surpresa? ou de um futuro single???? Não sei.
    Super apoio os reviews de bíblias do J-pop!
    ps: O que é “Retmi Retchugo” Bruno?

      1. Pra mim LetMeLetYouGo e Big Boys Cry derrubam o FEEL assim como Scream e B Who I Want 2 B derrubam o _genic haha

        Aquela imagem da Namie com roupa de esgrima q devia ser de Fashionista ainda é um mistério mesmo @_@

  8. Gostei do álbum, algumas fillers me incomodaram muito tipo Time has come, super desnecessária no inicio. B Who I Want To B me deixou estasiado, eu tava esperando pela maior merda da vida DEBILOIDE/VOCALOIDE e ai me vem Hatsune Fucking Miku entregando YoLandi Vi$$er realness.
    Que musica boa, principalmente com essa batidinha 80 New Wave no começo.

  9. Amei o álbum, os destaques pra mim são Photogenic, Golden Touch (HINO), Fashionista, Fly, B Who I Want 2 B(FEAT DO ANO, tchau), What I Did For Love e Stranger ❤

    Confesso que eu não sei comparar FEEL com _genesis, como meu amigo me disse é tipo Electra Heart e FROOT não dá para comparar :v

    ps: torcendo para as vendas barrar a de FEEL/A ONE/WOFM juntas (se não for pedir muito) hehe

  10. Gostei do album, ele não me ganhou completamente, mas o Feel tbm não tinha me ganhado de início e hoje o considero um dos melhores da década, então acho que é questão de tempo pra me ganhar. Acho engraçado o jeito que o Bruno gonga algumas músicas e depois diz gostar delas. rs
    PS: Não entendi o “Retmi Retchugo”. Alguém me explica, please.

  11. To no repeat direto com o album ❤
    Só eu q amei It? Desde a preview eu amei de cara It e Scream, e elas completas só se firmaram mais no meu ❤
    Eu vejo a Namie cantando IT facilmente num bloco da tour no estilo do bloco de La La La/CYFTL/Rainbow no Live Style 2014.
    Não tem uma musica q eu não gosto, acho q a q eu menos goste seja Space Invader, mas nao acho ela ruim. E não sei pq todo mundo ta uma babação pro Golden Touch, pq aquele auto-tune refrao tem hora q dar dor de cabeça. Mesmo assim amo

  12. Nao conhecia a Namie. Conheci ela pelo site aqui e comecei acompanhar esse álbum. Acabei de baixar e ouvi lendo…

    Depois fui ler a letra…. E MEU DEUS. Nunca vi ALGUEM TAO PREGUIÇOSO com letra de música. É sempre a maravilhosa, bonita que resolveu por o salto e mudar de vida. Ou algo perto disso. Ou alto-ajuda. Ou _genic, que é isso tudo em praticamente o álbum inteiro. A fofa ainda entrou na onda dos pop anos 20xx que é só por uns puts puts bate cabelo em algumas músicas [porque o pop pop mesmo não existe mais, deveria se chamar synth pop né :v]

    Isso sem falar na dicção. Quando eu fazia aula de canto o professor ME ENCHIA O SACO pra cantar o bagu’iu certo em portugues, ai vem uma fia do japão que nem sabe falar “black” e “flames” vendendo disco. ZZZZZZZZZZZZZ. Mas a vida tem dessas coisas né, quem sabe eu não começar a cantar de qualquer jeito k-pop eu não viro um idol, né não? [Porque to perdendo tempo tentando aprender hangeul shuiahsuahusuhas]

    Pelo que eu ouvi e vi dela, achava que ela era… mais. [Apesar de eu ja ter uma diva japonesa do pop pra mim [antes que perguntem não é conhecida aqui no oriente zzzzzzzzzz], não muda o que eu achava da Namie.] Fora essa cara de descaso dela que ME DA NOS NERVOS. Me faz SINCERAMENTE não ter vontade de conhecer o trabalho dela. Dá a impressão que ela mesmo não gosta do que faz [e como eu vou gostar, ne? xD]

    Mas claro, como todo álbum tem altos e baixos, eu achei MARAVILHOSA essa ideia de cantar em inglês E japonês numa mesma música [duas linguas que eu gosto <3] [Btw nao sei se ja era uma coisa dela ou só desse album]

    Eu achei meio basicao e cheio de musica solta, meio que agregado pra fazer um álbum. Parece que ele nao tem meio que uma identidade. É só puts puts e umas baladas, aquelas receitas de sempre do k-pop, pop estadunidense, as outras divas pop japonesas]

    1. As letras dela até que estão bem consistentes ultimamente.. ela sempre foi egocêntrica mas as letras costumavam ser ultra-ambíguas ou sexualmente escrachadas mesmo.
      O q tem de ruim em pop dos anos 2000? Te garanto q é melhor q essas porcarias de eletropop q são tocadas ultimamente graças à Rihanna, Gaga e etc.. e soando como anos 2000 ou atual, tenha certeza de q Namie SEMPRE mantém a qualidade num todo, não soa algo cuspido só pra vender q nem as outras.
      Falar do inglês da Namie, como novato nela, dá pra entender, mas recomendo ouvir Koda Kumi ou Ayumi ou até seus capopes aí pra ver q os inglês deles são MUITO piores.. (raras exceções como Utada e BoA pq nem os capopes q vão pros EUA como SNSD, CL e tal conseguem ter inglês bom).
      Desde o debut dela pela Avex ela tem essa cara de poucos amigos, isso é o charme dela.. Qual o intuito de ficar sorrindo com cara de querendo dar dinheiro pra todos em todo o clipe/live? Alguém tem q ser diferente.. se vc não gosta dela por causa disso, nem se dê o prazer de procurar outra coisa dela, pq ela é assim.. e pelo menos pros fãs e até pra quem curte jpop em geral, gostam disso.. ela não vende 400k-500k por estar sorrindo.
      Acho q vc andou ouvindo qualquer coisa menos o _genic pra falar q ela n tem “meio q uma identidade”.. praticamente todo artista jpop faz baladão puts puts e baladas mela-cueca.. de todas, Namie é a q melhor balanceia isso de looooooooooonge, uma vez q a concorrência direta dela ou é 90% dramalhão mexicano e qdo faz algo dançante, escorrega pro esgoto, ou é aquela q lança balada-rockish-eletro em TODO.SANTO.SINGLE… Namie pelo menos muda um pouco :p
      Maaaaaaaas.. caso vc queira se dar o trabalho de ouvir algo q possa soar mais consistente da parte dela, ouça só os best dela mesmo.. Best Fiction contém boa parte dos singles dela dos anos 2000… e como best, vc n necessariamente vai ter q procurar coerência entre o som q ela faz, já q ela sempre fez de dance anos 90, à hip-hop, r&b, dance atual, basic pop e etc e ainda conseguir ser boa em tuuuuuudo isso. 🙂

    2. [Porque to perdendo tempo tentando aprender hangeul shuiahsuahusuhas]

      tão te ensinando errado provavelmente, porque hangeul na verdade é muito fácil se explicado com a didática correta, o tipo de coisa que se aprende e domina em umas duas semanas (diferentemente dos alfabetos japoneses que não tem lógica alguma).

    3. Então, vamos aos pontos: EU, Ricardo, sou a unica pessoa que nao se preocupa com vendas dos artistas. Eu deixo isso pra quem trabalha com isso, no caso o departamento de vendas… da gravadora, dela, de sla quem. Se a musica é boa pra mim, ela vai estar no meu pc e eu vou cantar loucamente. Period.

      Nao tem nada de ruim no pop dos anos 2000. Tem tudo de OTIMO, MELHOR DELICIOSO. Mas nao temos mais esse pop and THAT’S the problem. O que temos agora são synths loucos [ou como li em algum lugar da internet da vida: “música de lquidificador” [Olá Catch me if you can, um beijo]

      Sobre o inglês da Namie, eu ainda questiono porque ela ‘vende’ a música dela como inglês/japonês. Agora FEMM nao fala do mesmo jeito, porque? Porque a base linguistica da musica delas é o ingles. Agora imagina se elas falasem “ai uana dê riu rrin”. Elas estariam lavando louça em algum restaurante em Ginza até hoje.

      Minha cantora favorita do Japão é a Hitomi Shimatani. Ela tem uma musicalidade um pouco diferente [pelo que eu sei ela nao é compositora mas algo próximo de produtora] MAS a música dela nao é em inglês mas tem wasei eigo AOS MONTES [pra quem nao sabe, wasei eigo é o inglês “japonificado” [ex.: jogo vira G[u]EEMU [game], elevador vira EREBEETAA [elevator], obrigado vira SANKYU [thank you]. and so on. Isso faz parte da língua deles e pra mim é.. understandable]

      Agora “flame” nao virar “FUREIMI” e sim “FRAME” é demais pra mim. Filhx, isso é COMUNICAÇÃO.

      Ela fazer balada sla o que, balada sla o que 2, musica sla o que “porque toda artista faz” eu ja vejo como… uma coisa ruim e DE NOVO reforça… a falta de identidade

      Eu vejo voce falando muuuuuuuuuuuuuito bem do past>future [ou future>past ou past<future ou ainda future->->->
      No coreano eu leria assim: v->v->v->v

      Isso fora batchim, as regras de nazalisação, liaison e tooooooooooooooda a viadagem que tem no coreano.

      Os dois alfabetos tem origens interessantes mas tem caracteristicas diferentes: hangeul é mais facil de escrever e japones é mais facil de ler [ainda mais com kanji, nossa… um texto de hiragana que eu demoraria sla, 5 minutos lendo CADA letra, com kanji eu demomaria sla, 2 minutos ou menos.]

        1. seu comentário cortou pq estourou o limite de caracteres, provavelmente.

          PS.: Acostumar-se com batchim e as regras de pronúncia é realmente questão de costume, se você não usa muito a língua, acaba indo embora. @_@

  13. _genic se tornou o melhor projeto após: NAMIE UPAR LYRIC VIDEOS DE 1MINUTO PRA TODAS AS MÚSICAS DO ÁLBUM. E adivinha só, nos lyric videos ❤ SÓ APARECEM AS PARTES EM ENGRISHU ❤ e ignoram completamente tudo que ela canta em japonês (Isso porque o importante é essa bomba vender bem no JAPÃO, né?), tudo que tem em japonês é uma legendinha do lado do vídeo.

    ps: Estou horrorizado com o que ela fala em inglês, é impossível entender o que essa mulher canta, acho que o ápice do inglês dela é Anything.

      1. Pior que foram mesmo, mas qual o intuito de postar eles separados, e só com 1min de duração? Namie tá afim de lançar uma special fanclub edition que vai incluir todos eles completos? (Aliás, quem compraria alguma coisa pra ver LYRIC VIDEOS completos?)

        1. Acho q ela recortou eles e cuspiu separados só pra dar outro buzz no álbum pra preguiçosos de plantão q querem ouvir apenas a q eles ouviram falar na net q n tem mv no youtube @_@

  14. A sua line-up ideal para o Twice não vai acontecer, Bruno. Chocante eliminação no episódio 6 😦

    P.S.: O subber falou que vai terminar de legendar a parte 2 quando acabarem as provas na escola XD

  15. Eu amei o album inteiro, ele é espetacular e concordo com a nota do blog dos 9/10.
    Sim, o FEEL foi mto bom, mas tava na hora de sair do dark e ir pra um lugar de luz e alegria. Coisa que muita artista com o mesmo tempo de carreira não conseguiu fazer. Vide Kylie Minogue que lançou a bíblia do pop em 2007, com X e cagou a porra toda com Aphrodite.
    Pra mim, _genic se iguala a algo que Britney Spears fez muito bem: 2007 foi lançado Blackout, divisor de águas na carreira da Neyde, um album dark, pesado, cheio de influências de experiências ruins que a Neyde teve nos anos que antecederam o lançamento do album. Logo em seguida, em 2008, ela lançou Circus, um álbum mais alegre, porém, que seguia o mesmo estilo e a mesma cadência e fórmula que fizeram do Blackout um álbum maravilhoso!
    Ou seja, FEEL é o Blackout da Amuro, e _genic é o Circus.
    E isso não é ruim, muito pelo contrário.
    Em contrapartida, senti muita falta das músicas em japonês, vide o PLAY e o Queen of Hip-Pop.
    Porém, não deixou a desejar.
    O álbum é conciso e mostra mais uma vez que Amuro está viva, radiante, dona do seu próprio nariz, fazendo e acontecendo e mostrando ao que veio. E também que ela sabe muito bem o que quer pra carreira dela.
    Se ela realmente irá aos USA tentar carreira ou não, isso só dependerá dela. Mas que inegavelmente ela é a rainha do Japão e da Ásia, isso sem sombra de dúvidas!

COMENTÁRIOS:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s