ALBUM REVIEW: SHINee – Married To The Music

Eu havia prometido uma review do ODD pra vocês quando ele foi lançado, de tanto que eu gostei do lead single (e só eu pelo visto), mas daí o apocalipse das girlbands começou e a review foi empurrada várias e várias vezes, até que um repackage foi anunciado. Com um repackage no horizonte, tratar do LP original tornou-se irrelevante, e eu acabei esperando mais ainda pra tratar do álbum, agora chamado Married To The Music. Mas aí SNSD teve comeback e eu me vi obrigado a fazer uma review do álbum delas primeiro, ou os comentários do post de SHINee consistiriam apenas de gente perguntando sobre SNSD. ENFIM. Dramas passados, eis que a review finalmente está aqui, pra todos os Shawols por aí apreciarem/se irritarem. :v

Sendo honesto, Odd havia sido um álbum fraco, um que reunia todos os seus destaques em sua primeira metade e por conta disso basicamente morria dali em diante, algo costumeiro não só nos atos da SM Entertainment (vide o último EP de Red Velvet), mas no kpop como um todo. O foco sempre está em se ter um lead single matador, uma estética marcante pro MV/booklet e… só. E considerando que as vendas do LP não cairão ou aumentarão por conta das outras faixas no álbum serem genéricas ou excelentes, álbuns meia boca viraram lugar comum e ninguém honestamente se importa.

Odd originalmente caía bem no meio desse lugar comum, mas o repackage ajudou dramaticamente o LP original, adicionando quatro faixas ótimas, ainda por cima as espaçando na tracklist, fortalecendo a segunda parte e deixando Married To The Music mais aproveitável do começo ao fim. Chequem a playlist com o álbum aí em cima e a review faixa a faixa começa aí embaixo.

 

Married To The Music, a faixa-título do repackage, é um daqueles disco/funk que coreano adora, mas um que é tornado melhor pelas harmonias de SHINee serem incomparáveis no k-pop, elevando a música e tornando-a quase uma faixa dos Jacksons 5 gravada para 2015. As harmonias deles casadas com a produção competente são. puro. ouro, e é até chocante que uma faixa que tem meio mundo assinando letra/música tenha sido tão boa e direta (LDN Noise de View tá aí, além de Kenzie, The Stereotypes que trabalhou no último álbum da BoA e ainda um tal de Deez). Married To The Music não tem break de trap, não tem montanha-russa no tempo e exatamente por isso que ela presta.

Married To The Music tem um clipe ótimo (e uma coreografia que sua favorita jamais conseguiria), mas pra mim SAVIOR deveria ter sido a title track. Isso porque esse EDM/dance é a sucessora natural de View, mantendo o mesmo espírito de pop descomplicado e contagiante. Mas tudo bem, o conceito de Married To The Music resultou num package legal pro álbum, acho eu.

Odd Eye, a intro do álbum original, agora fica numa confortável faixa três e continua a ser o mesmo R&B 90s que todos curtiram lá em maio. Se uma coisa havia ficado clara no debut morno de Jonghyun em janeiro era que apesar de tudo ele sabia escrever sex jams muito bem, e é exatamente isso o que Odd Eye é.

 

Love Sick traz SHINee narrando como eles querem pegar uma mina mais velha que faz o coração deles ferver tem muito tempo, mas que sempre os tratou feito crianças. MAS AGORA ELES CRESCERAM E VIRARAM MULHER, então a nuna encarou com muita fé a serenata deles, começou a achá-los interessantes e agora está disposta a recebê-los de pernas abertas braços abertos. Assim como Savior, Love Sick é sunshine pop feliz e uma ótima introdução para a música vencedora da batalha das girlbands nesse 2015, ❤ View. ❤

View é facilmente o melhor single de boyband do ano (sumam, VIPs) e a melhor faixa de SHINee desde Lucifer. Produzida por LDN Noise (mas soando feito Duke Dumont), View é um house enterrado em nostalgia 90s até não dar mais, que narra como eles viram uma mina que é uma bela vista e, mais uma vez, eles querem ~~algo a mais~~. Romance por sua vez segue a mesma linha feel good de todas as faixas até aqui, adicionando à mistura doo wop ao final de cada refrão (os icônicos XUBIROU XUPAPIRU).

 

Trigger é um número de hip hop/urban que tem várias sessões bem díspares, que funcionam entre si por quão boa a produção é (o tal de Deez que ajudou em Married To The Music está por trás dela, prbns pra ele). Tem até um segmento com cítara e harpa pra vocês terem ideia de quanta coisa foi enfiada aqui, além de Minho mandando uns “Pull dah triggerrrrr” com sotaque caribenho sabe-se lá por quê. Mas vou dizer que o sotaque abriu meus olhos para o fato de que isso aqui seria um ótimo single de Rihanna caso ela parece de LANÇAR BOSTA ATRÁS DE BOSTA e arrumasse a casa pro futuro #R8.

Metade de Married To The Music pra trás e o álbum até aqui é rainha do pop como vocês podem ver, com uma combinação de retrô 70s e 90s, house, urban, disco e R&B extremamente confusa no papel, mas que na prática funciona porque o delivery vocal marcante deles dá unidade a tudo (o que não ocorreu no igualmente diverso Lion Heart de SNSD, por exemplo).

이별의 길 (Farewell My Love) é a segunda midtempo do álbum, e uma que traz SHINee personificando Boyz II Men maravilhosamente bem (até o “”””rap”””” de Minho funciona dentro desse molde piano-com-sintetizador). O refrão é explosivo e dá vida a Farewell My Love, juntamente dos falsetos de Jonghyun na bridge. Podem debochar, mas isso aqui pra mim é tipo top3 faixas do álbum, se todas as midtempo fossem assim o k-pop não precisaria de salvação.

Falando em salvação, após oito faixas ótimas, o álbum tá precisando de uma, porque eu NÃO ESTOU AQUI pra ouvir uma balada de tipo cinco minutos no violino. VÁ SE FODER, 너의 노래가 되어 (An Ode To You). Musiquinha de merda que completamente matou o clima de Married To The Music e sozinha me fez tirar tipo uns dois pontos da média final disso aqui, tamanho o golpe certeiro dado no álbum. Essa aqui deveria ter virado trilha sonora de algum dorama e olhe lá. Sério, que bosta.

Pelo menos Hold You (a terceira inédita do repackage) aparece pra melhorar as coisas. A produção é assinada pelo The Stereotypes, e pra quem ouviu o último álbum da BoA, isso é bem evidente, porque os paralelos entre Kiss My Lips e Hold You são visíveis. Outro sex jam competente. Seguindo Hold You, temos Alive, o segundo hip hop/urban do álbum, que acelera o tempo dramaticamente. No álbum original isso só deixava o baque de An Ode To FLop ainda pior. Mas o repackage melhorou isso colocando Hold You no meio pra equilibrar as coisas. Alive por si mesma é meio qualquer coisa (Trigger funcionou melhor com SHINee, que não é dessas boybands a pagar de badass e tal).

Faltando quatro faixas pra acabar, temos Woof Woof, um swing que faz uso de brass muito bem (muito melhor que Shake That Brossta da Amber com certeza fez), mas que é outra album track bem qualquer coisa. Chocolate é a última das faixas inéditas do repackage, e uma ótima adição ao álbum, por ter fortalecido essa reta final que na versão original descia ladeira abaixo depois da horrorosa An Ode To Merda.

Black Hole vem e vai tão rápido que você mal nota. Talvez seja a duração curtíssima (menos de três minutos), talvez seja o fato do disco-pop ser bem genérico e esquecível, mesmo que agradável. Fechando o álbum, temos a segunda balada do mesmo, 재연 (An Encore). Depois do horror de An Ode To Estrume, claro que eu já estava com dois pés atrás, mas An Encore tem bem o clima daquelas baladas motivacionais que fecham álbum e deixam as fãs emocionadíssimas balançando lightstick quando eles cantarem isso lá pro final do setlist da turnê. Um final adequado pro álbum.

ODD era o clássico LP de k-pop que começa bem e termina arrastado, principalmente por conta de An Ode To You, que absolutamente mata o momentum do álbum (analogias: um carro em alta velocidade se espatifando contra uma parede de tijolos, ou ainda o escândalo do gordinho das guiozas matando a ascensão de Girl’s Day). Married To The Music não consegue exatamente salvar o álbum da morte horrível que é aquela bomba bem no meio da tracklist, mas suas inéditas fortalecem ainda mais o começo do álbum (nove faixas ótimas uma atrás da outra é pra poucos) e também deixam a parte final mais palatável com as outras duas inéditas estrategicamente espalhadas entre as faixas mais básicas que começam a aparecer pós-An Ode To Lixo.

O que eu recomendo vocês fazerem é simplesmente deletar tudo pós Farewell My Love da tracklist e deixar só as inéditas do repackage e olhe lá, porque assim Married To The Music é nota 10,0. Sem isso, cai pra um oito. Mas ainda assim, Odd pra mim era um cinco/seis antes das faixas novas, então essa nota já é um grande avanço. O que o álbum demonstra é que mesmo quando SHINee é básico ele ainda assim se diferencia de todas as boybands do k-pop. SHINee é uma daquelas poucas bandas com um som distinto e facilmente reconhecível no capope (gênero onde tudo é bastante intercambiável), uma banda que mescla todos os seus cantores muito bem e soa como uma unidade coesa, ao invés de soar como uma colagem de artistas solos. Married To The Music não apresenta grande evolução sonora pro grupo, mas apresenta letras mais maduras pra acompanhar o pop grudento de sempre. Difícil pedir por muito mais que isso.

DESTAQUES: Married To The Music, SAVIOR, Odd Eye, View, Trigger, Farewell My Love.

MEIA BOCA: nem preciso dizer.

Anúncios

72 comentários em “ALBUM REVIEW: SHINee – Married To The Music

  1. Alguém me explica qual o problema de Girls Day com o tal do gordinho?
    Eu googlei GD + gordinho e fat no google mas apareceu nada.

    E eu concordo que Lucifer é muito boa.
    Ouvi todos os discos do SHINee e gostei, pra mim fazem o básico, mas é fmz mesmo assim. Não estupram o ouvido. Mas foi pelo youtube e nem liguei pra baixar ou escutar novamente.
    Este ai eu tbm gostei, mas daria um 7 ou 6 (um absurdo ter dado a mesma nota que Lion RIDÍCULO Heart).

    Depois de Modern Times, nenhum disco de K-Pop me compra mais, principalmente os basicão genéricos X3 -ainda te odeio pela referencia na review de Leão Coração-

    1. as minas do girl’s day foram grossas num programa online, daí o povo caiu de pau em cima delas por causa disso, principalmente porque Sojin teve a audácia de recusar umas guiozas que o apresentador ofereceu pra elas. ❤

      PS.: eu derrubei a nota do Lion Heart desde a postagem da review, porque eu fiquei tão chocado por ter gostado dos singles delas que deixei isso obscurecer meu julgamento. @_@

  2. Acompanho essas piranhas nugu desde o debut pra dizer que esse é o melhor single delas -q, não que seja difícil, claro.
    Uma das gatas do debut saiu, mas ninguém liga e eu adoraria ver April debutando com essa música

    1. Falando em Nugus, meu player do youtube me jogou esse debut no The Show dessas myB, a cópia pobre de Red Velvet no melhor conceito cores e loira do banheiro concept. A música emula alguma b-side de SNSD no álbum de debut poakpokspoak

      E essas tal de LPG que vieram com um synthpop que me fez lembrar Girls Day na hora, com elementos bem gostosinhos -q

      As caras feitas em gangnam ❤

      1. Poxa, por que ninguém tá lendo meus comentários? Terceira pessoa que divulga esse debut espetacular do myB ://
        Saiu o MV também, NiWan, não postar aqui de novo, porque né.

        Essas LPG são o grupo irmão das Pocket Girls! É sério! E elas roubaram esse nome de uma girlband de trot. Isso também é sério!

        1. Esse LPG é o mesmo LPG que deu origem a ❤ Chaness ❤ (tanto que duas membros da sub-unit tão nesse cover). Só não sei se cinco membros saíram (o que levaria a uma quarta geração) ou se meteram o foda-se e usaram apenas essas quatro pra fotografar.

      2. caramba, é copia cuspida de red velvet (talvez com mais energia e vontade de viver)
        e as caras feitas em gangnam mortissima, nem pra dizer que apenas ficou mais bonita, kpop não tá disfarçando faz um tempo

  3. AGORA SOBRE A REVIEW
    Eu não tinha gostado de View nadinha no começo, por algum motivo não me chamava nenhuma atenção, mas com o passar dos dias eu me pegava cantando o refrão em qualquer lugar, e a melodia não saia da minha cabeça, obviamente baixei o álbum e foi just ok, mas View tava valendo por tudo.
    Já o repack realmente vale muito a ouvida, nada novo pra eles, mas do jeito que os lps de boyband andam, é o que tem -q
    Boa Review Bruno ;D

  4. Finalmente!!!! Agora, só tem umas coisinhas…

    “View é facilmente o melhor single de boyband do ano”

    “e a melhor faixa de SHINee desde Lucifer”

    Fora esses pequenos equívocos, a review foi muito boa e acertada. Primeira album review de uma boyband aqui no blog, aliás. Espero que a igualdade de gênero continue e tenhamos uma do MADE, quem sabe assim você finalmente acorde e perceba o julgamento equivocado que fez da icônica Bang Bang Bang! u_u

    1. Dream Girl? Sério? Ok.
      Aproveitando a deixa, recomendo esta faixa perdida do The Misconceptions of Me que caberia lindamente no conceito de Married to The Music:

      1. Já entendi que você gosta de View, mas é melhor PARAR POR AÍ. Parece SONE falando que Party lacrou. Preocupe-se com sua credibilidade de blogueiro, meu amigo! e-e

  5. An Ode to You is the new Rivotril. Ela mata o resto do álbum mesmo, porque você dorme e só acorda quando ele acabou.
    É incrível como quatro faixas fizeram uma diferença enorme. Eu queria muito gostar do álbum quando saiu, mais a pegada no R&B estava muito forte para o meu gosto, foi difícil ouvir ele inteiro duas vezes. Agora, com o repackage, a tracklist está muito mais amigável e flui muito melhor (com a canção de ninar do demônio devidamente excluída).

    1. Isso é novidade! Por favor, voltem com uma faixa decente!! Saudades amorzinho gelatinoso </3 Não me decepcionem como no último lançamento, Hi. Eu acho que era Hi o nome da música. @__@ Mas bem né, de um jeito ou de outro, vai valer só por esse retorno triunfal. ❤

        1. Eu tô aqui torcendo para que elas sejam diferentes!! Mas o histórico não é animador mesmo… Bem, teve o GFriend em Glass Bead. Tá legal que não era 100% White aegyo, mas teve White aegyo também. T^T

    2. estou traumatizada depois de april surgir com aquele comeback cheio de arvores e branco em tudo que é lugar. Acho que lovelyz está querendo me trolar hahahahah

  6. As coreografias de SHINee ❤ Eu adorei View também, você não está só! *O*/

    Sobre Love Sick, eu gosto bastante dessa música, mas isso: "MAS AGORA ELES CRESCERAM E VIRARAM MULHER, então a nuna encarou com muita fé a serenata deles, começou a achá-los interessantes e agora está disposta a recebê-los de pernas abertas braços abertos. " XD XD XD XD Eu adoro esses comentários com as letras das músicas. XD

    View definitivamente venceu a guerra dos Gril groups, mas ainda acho I Need You do BTS o melhor single de Boygroup do ano.

    Minhas favoritas são: Married To The Music, SAVIOR, Odd Eye, e View.
    No entanto, eu adorei Trigger, e Farewell My Love também. Até gostei de Chocolate também, e por isso ela permanecerá na minha Playlist por algum tempo, assim como Love Sick. O resto, eu exclui mesmo, porque não posso esbanjar demais, meu celular e PC precisam de reservas.
    Ótimo Review.

  7. A discografia deles num todo pode ser considerada praticamente imaculada se considerar que:
    A. É um grupo masculino de kpop
    B. É um grupo da SM

    Sério, eles sempre trazem algo aproveitável, apesar de já terem alguns anos ainda passam aquela aura de frescor (nada pior que ver que o grupo juntou uma fanbase decente e apertou o foda-se) e se garantem nos lives e MVs.

  8. Saiu uma versão especial de Golden Touch com Namie aparecendo e fazendo o que ela sabe faezr melhor: ficar sentada ou em pé sem se mexer muito ❤

      1. SIM. Mas ela tava muito cansada de ter gravado 2 takes pra Birthday antes de falar “foda-se vai a versão que eu não consigo abrir o vestido mesmo”.

        Só estranhei porque isso parece uma short version e não sei pra onde iria a full version. Bonus pro DVD limited da LIVEGENIC TOUR?

        1. poisé, não entendi por que da short version também. Mas aposto que Namie deve ter ficado SUPER FELIZ de seu primeiro vídeo a viralizar ter sido um em que a cara dela nem aparece, né? :v

        2. Sabe que do jeito que essa mulher é eu nem duvido dela não ter ligado?
          Tipo aquela história de que ela recusou ir pro grammy em 2010 e entrevistar a Leire Gaga porque preferia ficar em seu sofá.

        3. essa historia de entrevistar a lady gaga é serio? Meu deus to por fora das fofocas hahahah. Eu acho mt estranho ela não divulgar os paranues dela hahahahah. Mas ela é a namie ne

  9. Nunca tinha parado pra escutar nada do Shinee, qnd lançaram View eu amei de cara.

    Fiquei surpreso que todos (tirando o Minho) são ótimos vocalistas e harmonizam muito bem, destaque pro timbre mais grave do Key e pros falsetes do Jonghyun.

    Minhas favoritas foram as que vc colocou em destaque, só faltou Romance que achei sensacional essa harmonia vocal por cima de uma trilha de Super Mário World ❤

    An odd to you nem é tão desgraçada gente kkkkkkk, mas eu pularia menos vezes se fosse a canção pra fechar o álbum.

  10. Com essa review saindo you got me singing hallelujah Bruno,ashuah

    Quando ouvi o Odd realmente percebi que a 1ª parte do album até Farewell my love é anos luz melhor,mas acho que Alive também é uma das que salvam boa parte da monotonia do album,principalmente a que An Ode to You faz ter (sono…),eu detestei muito Black Hole,mas com o tempo viciei e achei super gostosinha de ouvir.Com o repackage o album fluiu muito melhor,sem comparação com o Odd,Married to the Music ficou muito melhor ajustada as faixas sem dúvida.
    View e Married to the Music são sem dúvida as melhores músicas de boyband,e para mim melhor tracklist adaptada.

    Mas para mim,esse album não chega nem perto do Minsconceptions of Us( o of Me sem duvidas melhor) que tem muita música de arrepiar,tipo o combo Nightmare+Spoiler+Evil+SHINe e as gostosinhas Punch Drunk Love,Excuse me Miss e Like a Fire. Mas EPs da SM sempre flui melhor que um album completo,e como o MofUs foi lançado em dois EPs deu uma impressão melhor.

    Que muita musica mostrou o jeito unisono que o SHINee soa e como eles podem combinar suas vozes,realmente harmonia é o ponto forte deles.

    Mas continuo ouvindo o album,tentando achar o tesouro ( que na verdade são Savior,MttM,View,Odd Eye,Alive,Hold You,Trigger) já o resto é meio dispensável.

    Valeu pela review Bruno 😉

  11. Eu estava aguardando muito o review, gostei muito, a nota foi bastante justa.
    Tb acho que View é o melhor single de verão e o melhor do SHINee. Nunca gostei deles dos falsetes, só simpatizei por Lucifer e olhe la, mas View me deixou experimentar (de novo) e ODD se transformou em um dos meus álbuns favoritos primeiro porque é lindo graficamente, o instrumental é maravilhoso e o album segue uma linha de raciocínio. Todas as músicas, até as mais básicas, remetem ao tema central, ao verão, a capa do cd, a sonoridade dos singles, a tudo e o Married to the music vem fortalecendo isso. As únicas coisa que me incomodam bastante são a capa, prefiro a ODD, e essas baladas chatas que realmente matam o álbum no meio e no fim depois de uma faixa tão boa como Black Hole.

  12. oi, bruno cu, tudo bem? aqui não tá nada bem. demorei demais pra achar este seu maravilhoso bluóg. já achei o do mairo também (maisgataquevc); duas horcruxes do rsfd a menos pra procurar.
    então, além de parabenizzzzar eu gostaria de sugerir um pós–show de idols… como aquela safada do t-ara que ficou louca ou aquela outra do baby kara que se suicidou após não ter entrado pro kara. *boom*
    enfim, acho que é isso, bjs estrelados.

    ps: eu comentava como ‘b´´´’ no rsfd mas esta letra não. existe. em. parte. alguma. do. meu. nome. [?]

  13. ufa, consegui.
    morto com essa yoona horrorosa de algum single japonês mela cueca, mas vai assim mesmo pelo valor de choque.

    ps: não dou nem meia foda pra shinee.

  14. Acredito que o álbum de grupos da sm lançado até agora esse ano que tem menos fillers foi o Exodus, com o Repackage de Love me right. Os álbuns do exo tem músicas realmente audíveis, acho que o Love mr right mereça uma review.

  15. como assim 8 pra esse album horrivel das bixas do shine ,e so 7 pra lion heart melhor album de 2015,esse blog é horrivel e voltei so pra dizer que eu ainda to viva.(e continuo sone)

COMENTÁRIOS:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s