ALBUM REVIEW: Hamasaki Ayumi – M(A)DE IN JAPAN

Daí que Hamasaki Ayuoncé chocou a todos essa semana ao simplesmente largar no Tidal no serviço de streaming da AVEX seu novíssimo álbum de estúdio, MADE IN JAPAN. Ou melhor, MDE IN JAPAN, usando o símbolo tosco dela (não sei por que ela já não chamou o álbum de “MDE IN JPN” de uma vez). Notícias de um álbum novo de Ayu não deveriam chocar ninguém, visto que ela lança um a cada dez meses. Mas como ela é a primeira artista japonesa relevante a beyoncezar um álbum, um buzz inexplicável foi criado em cima de um lançamento de uma verdadeira hasbeen. Será que com MDE IN JAPAN Ayu conseguirá dar uma guinada na carreira? Ou de interessante no álbum é só a estratégia de divulgação mesmo? Veremos.

MDE IN JAPAN é, pasmem, o DÉCIMO SÉTIMO álbum de Ayu até hoje. Mas o release digital via AWA dois meses antes do físico traz um certo frescor pro trabalho que Ayu vinha precisando tinha algum tempo. Tá que lá no fundo eu sei que esse álbum saiu via streaming bem antes do dia 29 de Junho só pra Ayu ter músicas novas pra divulgar na sua nova turnê, e não pra ela tomar riscos ou coisa parecida. Tanto que eu nem me surpreenderia caso o álbum tivesse um trabalho gráfico totalmente diferente quando saísse fisicamente, e me surpreenderia menos ainda caso o número de faixas subisse pra 13-14 com material novo pra validar a nova compra. Mais Ayu impossível. Enfim, review faixa a faixa:

O álbum abre com a intro tasky, uma palavra que finge ser inglês, mas que na verdade não significa nada. Isso dito, sério, QUE COISA MARAVILHOSA. O dance misturado com os elementos tradicionais japoneses funcionou muito bem, parece algo que estaria em casa na trilha sonora de Ninja Gaiden. Porra, essa aqui é uma competidora real pra abrir o top de 2016, tá muito boa. Os elementos tradicionais japoneses além de tudo casam bem com a temática que o título do álbum parece apontar. FLOWER, a primeira faixa em que de fato ouvimos Ayu cantar, mantém os elementos japas, mas substitui o dance pelo pop rock que Ayu tanto gosta. Funcionou.

O começo foi coerente com o título e genuinamente legal. Mas a faixa seguinte, Mad World, joga pela janela a temática japonesa e é um daqueles números midtempo dramáticos que Ayu sempre lança. O mesmo pode ser dito de Breakdown, que ao menos é um pouquinho mais memorável, por conta do break de guitarra ao final da música. Mas olha, eu não vou mentir, com esse tema made in japan seria legal se Ayu tivesse roubado umas demos do FLOWER do laptop de Reina pra enfiar nesse álbum. Coisas como Taiyou To Himawari e Nettaigyo no Namida fariam maravilhas pela tracklist.

A faixa cinco não retorna a temática tradicional japonesa, mas eu honestamente não me importo quando temos um motherfucking jam desses: Survivor foi um completo blindside pra mim. Sério, que porcaria dramática, o coro, as melodias, que coisa mais brega. ❤ Facilmente uma das melhores coisas de Ayu na década de 2010. De japonês não tem nada, mas é talvez a melhor faixa do álbum até aqui (sim, talvez melhor até que a intro).

Metade do álbum passado e nada de baladas. Tava demorando, não é mesmo? Mas é claro que Ayu não deixaria um lançamento seu sair da avex sem a presença de pelo menos umas três baradas modorrentas com cinco minutos de duração e feitas a toque de caixa, então é aí que as próximas faixas entram na jogada. Pra começar, You Are The Only One, que começa pouco inspirada, mas aos poucos deixa sua marca pela presença de uma gaita de fole bizarríssima, que faz a faixa parecer My Heart Will Go On. E como isso é toscovilhoso demais, curti You Are The Only One, ainda mais que rolam uns gritos de engrish terríveis de “YUADIONLIWAAAAAA” no vibrato exagerado característico dela.

Já sobre as outras duas baladas eu não tenho nada de bom a dizer não. TODAY é a balada inespecífica n° 666 da carreira de Ayu, e nem tem elementos que valham pela piada igual Yuwa Dionli Wa, então optarei por ignorá-la e seguir em frente com minha vida. Mr.Darling também é mais do mesmo, tendo como ponto positivo ter menos de quatro minutos, algo muito provavelmente sem precedentes entre as baradas de Ayu.

O álbum já está acabando, e após a trilogia de baradas, Ayu do nada turns. it. up. e ao invés de fechar o MDE IN JAPAN aos trancos e barrancos, Ayu enfia duas farofas basiconas e que não tem nada a ver com o conceito do álbum, mas honestamente? Quem se importa??? As faixas estão boas, e tratando-se de Ayu, isso é mais do que o suficiente. Eu espero conceito forte e coerência de outros artistas, não dela.

Summer Love é assinada por Dimitri Vegas & Like Mike, continuando a saga de Ayu de colaborar com produtores ocidentais pras suas farofas genéricas. Summer Love não tem o mesmo vigor de Lelio, XOXO ou Movin’ On Without You dos últimos álbuns dela, mas dá pro gasto. Many Classic Moments por sua vez é o cover dela pro álbum de vinte anos do globe, continuando a outra saga de Ayu, de ter entre os destaques de seus álbuns uns covers de outros artistas. Um fechamento apropriado pro álbum, ao invés de alguma balada de merda.

CoLOURS havia sido uma tentativa de reboot totalmente frustrada do som de Ayu, enquanto A One havia sido completamente derivativo de tudo o que ela já havia lançado antes, uma aposta segura e que iria colar com a fanbase após a derrapada do CoLOURS. MDE IN JAPAN por sua vez parece ser um meio termo entre os dois trabalhos anteriores, mesclando farofas datadas com Ayu 101. E no meio desse tiroteio, metade do material funciona e metade é descartável. A impressão final é aquela de sempre: Ayu ligou o foda-se e lançou qualquer bosta pra sua fanbase fiel, mas honestamente? Eu nem me importo muito, porque esse trabalho descompromissado é talvez a melhor coisa dela desde NEXT LEVEL. Com sorte no lançamento físico Ayu dá uma turbinada nesse negócio, reforça o conceito e dá umas capas bem legais pra ele. Se ela fizer isso e eu estiver num dia bom, talvez até suba a nota final. Mas do jeito que está, e com metade das faixas sendo tão esquecíveis, uma nota seis tá ótima.

MAIS AYU: CoLOURS / A One.

Anúncios

79 comentários em “ALBUM REVIEW: Hamasaki Ayumi – M(A)DE IN JAPAN

  1. SERIO EU AMEI ESSE ÁLBUM!!!112!2!@!!! Ele não é o melhor álbum da carreira dela, também não chega nem perto disso, mas ele é o melhor se comparado com CoURES e A One…

  2. No leitor do wordpress o simbolo toscão fode com toda a formatação do 1º parágrafo ❤

    Enfim, ainda acho A ONE a melhor coisa recente dela (Com recente, pós Rock n' Roll Circus). MADE IN JAPAN para mim é regular e só

  3. Rapaz… eu não faço a menor ideia de quem seja essa mulher (só conheço xoxo, que acho legalzinha até @-@) mas sempre vejo todos os reviews dos álbums dela só pra ver o Bruno jogando veneno. :v

    1. SEM CULTURA HEIN! Cara, a Ayu já foi eleita a sexta celebridade mais rica do mundo (isso a alguns séculos atrás) e é a Imperatriz do Pop Japonês sendo tbm a cantora de asian pop mais famosa… Pena que a Namie é muito melhor, mas curto a Ayu pelo deboche mesmo.

  4. Eu até dei uma chance pra ela e ouvi esse album, mas eh muito rock pra mim, assim como eu suspeitava e q jah tinha ouvido dela.. a q eu mais gostei foi Flower, o começo tava otimo, mas mesmo assim dps aql guitarra nao desceu pra mim… mas eu enviei o album pra uma amiga minha e ela gostou, entao eh questao de gosto mesmo… eu tentei

  5. Escutar a voz da Ayumi em pop farofa genérico é bem torturante, como diz minha mãe, não orna. Além de não ter paciência para as baladas intermináveis dela.
    Mas achei Survivor ótima mesmo!
    Como praticamente não escuto ela (de vez em quando baixo alguma coisa dela pra ver se vai, mas bem raras.) não consigo comparar com nada.

  6. Obrigado my fans mas faltou professionalism, nem postated o meu PV que já is online:

    PS: I speak engrish agora, i’m learning com meu husbando. I’m ver goody.

    1. AAAAAAAAARGH EU DEVIA TER POSTADO ASSIM QUE EU VI ONTEM
      ESSA É SIMPLESMENTE A COISA MAIS TOSCA, VERGONHA ALHEIA E GENIAL JÁ FEITA

      O pior é que todo o hype criado por trás desse vídeo também tava incluído no deboche e na paródia, sério, as fotos com os perfis dos caras e as curiosidades tosquíssimas ❤ o break de violino nada a ver no final dessa merda foi uma das melhores representações dos vícios nas músicas de kpop (Face do NU'EST me veio á mente). Sério, mais uma vez parabéns pro Ryan Higa e pra todos os envolvidos.

    2. TODOS OS CONCEITOS QUE O KAPOPE JOGA PELA JANELA EVERYDAY, ATÉ AS TRANSIÇÕES, LETRA SEM SENTIDO, ESSE DEBOCHE, sem contar que foi melhor que tudo o que o Big Bang lançou ano passado, palmas não vocês merecem Tocantins inteiro, quero a versão girl group com direito a Hey AoA

  7. I am shocked falta professionalism nem put my PV of Survivor na leview.

    PS: Me speak engrish agora, I’m learning com my husbando.

  8. I am shocked falta professionalism nem put my PV of Survivor na leview.

    PS: Me speak engrish agora, I’m learning com my husbando.
    Playstation 2: Esse website me censurando is, don’t appears my commentariations.

  9. Eu não sei se tenho coragem de ouvir um álbum inteiro da Ayu não…

    Mas Bruno, você não vai falar do Eurovision ou do escândalo do AOA????

    1. Tá… eu já tinha achado a música ótima, porém americanizada demais, e contínuo achando isso agora com o MV @-@ maaaaas, os raps e os timbres meio que matam em comparações com os atos americanos, então win/win :v, eles meio que gastaram dois reais no clipe, mas quem liga? =^.^=
      Pra mim já foi a salvação do k-pop esse mês junto com o comeback do aoa. Achei bacana olhar os comentários e ver que BR IS EVERYWHERE @-@
      ps: eu fui o único que não gostou desse cabelo vermelho no V? O do Rapmon tá menos cagado que o normal e o Jin ficou até bacana, mas esse vermelho-ketchup ai n me ganhou n :/
      ps²: eu já desisti de tentar entender alguma bosta disso, só que é esse MV que fecha a trilogia então provavelmente estão todos mortos mesmo, inclusive o Jin e blá blá blá? .-.
      Aquele boy meets _ no final só veio pra ferrar a gente.

    1. Logo quando AOA finalmente lança uma música genuinamente boa, elas passam a ser o novo grupo odiado da nação. Salvaram o k-pop de 2016, resta ver se não destruíram sua carreira no meio do caminho…

        1. o problema do Girl’s Day foi menor do que isso, mas 2015 foi um ano tão corrido pra elas e o timing de comeback não foi legal. Pelo menos agora elas são mais amadas do que nunca.

        1. Elas estão quase voltando, só esperando a Hyeri e a Minah acabarem de gravar os doramas que estão como personagens principais, Solji já cortou até o cabelo e a Yura está fazendo programa de variedade. Elas devem fazer comeback daqui a 1~2 meses.

    2. Q dó né?! Elas mais lindas do q nunca.. uma música q já dava pra gostar desde o teaser (!!!) e não só depois de um mês… girls on top!
      Daí manager se distrai durante uma gravação e deixa Jimin falando qlqr coisa e pronto: comeback ofuscado!
      Faltou um pouquinho de SORTE aí..

        1. Agora parecem que eles vão reupar os vídeos novamente porquê a letra está bem ”feminista” ou os haters estão denunciando AHHHHH Coréia eu não sei o que mais faço com você.

        1. já saiu do ar no 1thek, tô achando que provavelmente tiraram o vídeo do ar porque a SPRITE não quer mais vincular sua imagem com AOA depois do escândalo, e agora terão de reeditar o MV @_@

        2. É, eu até achei estranho aparecer propaganda da SPRITE num MV desse jeito, mas deixa logo como está cacete, eu preciso ver elas se deliciando com o meu refrigerante favorito.

        3. Ainda bem que eu vi minutos antes de tirarem do ar, pq isso tá muito bom *-*.
          Só falta essa história toda ser verdade e elas terem que editar o mv por causa da porra da letra ou de uma propaganda de refri…
          AArrgh… não dá! NÃO. DÁ! SÉRIO
          VÁ SE FODER CORÉIA!

  10. Ayu lançando um álbum aceitável, Namie dançando num MV… sério, a volta da Utada tá fazendo milagres pro j-pop.

    Qual será o próximo? Koda Kumi lançando um álbum coeso (sem deixar de lado os MVs e coreografias com muita piranhagem que é o que todo mundo gosta, claro)?

  11. Eu adoro a Ayumi, concordo com o 6.5 mas não concordo q esse álbum seja o melhor dela desde Next Level… pra mim não chega aos pés do Rock’n Roll Circus e Love Songs e não é melhor que o Colours.. só compete com o A One e com o Party Queen. 😛
    Pelo menos a faixa “Many Classic Moments” é a melhor música dela em mtos anos. 😀

COMENTÁRIOS:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s