Sob a tutela de HyunA, CLC digivolve para 4MINUTE em “Hobgoblin”

CLC tá na estrada tem dois anos e até agora a fama simplesmente não aconteceu pra elas. Vocês tinham ideia de que esse já é o QUINTO EP E O SEXTO SINGLE delas? Porque eu não tinha e fiquei chocado. Pra ser honesto eu me lembro do debut legalzinho, do fato de Sorn existir e SÓ. Eu honestamente nem me lembro de sequer ter ouvido qualquer um dos outros singles delas (e me conhecendo, eu provavelmente fiz isso e só esqueci de todos), tamanho o “méh” que o grupo causou no público até aqui. Notando que CLC estava afundando mais rápido que a carreira de Biel, a CUBE resolveu repaginar totalmente o grupo e dar um 180° na imagem delas, só faltou mudar o nome delas pra Dreamcatcher, porque do CLC original isso aqui só tem as integrantes:

Continuar lendo “Sob a tutela de HyunA, CLC digivolve para 4MINUTE em “Hobgoblin””

MINX voltou tão revamped que até trocou de nome pra Dreamcatcher. Agora são góticas e emo.

Bem, que MINX iria dar disband todos já imaginavam, visto que a HappyFace preguiçosíssima deu de single pro grupo em 2015 uma fucking regravação de uma b-side que Dalshabet tinha lançado em 2012, tamanho o número de fodas que eles tinham pra dar pro grupo. O que ninguém imaginava era que ao invés de demitir as cinco meninas e começar um novo grupo com as trainees do PRODUCE101, a HappyFace iria simplesmente debutar o grupo de novo com duas integrantes a mais pra um conceito drasticamente diferente. É aquele tipo de ideia tão absurda que só acontece em k-pop mesmo. Com vocês, Baby Metal (kor. ver.) [só que sem o nazi concept]:

Continuar lendo “MINX voltou tão revamped que até trocou de nome pra Dreamcatcher. Agora são góticas e emo.”

HELLO VENUS não faz feio com Mysterious, mas também não empolga

Hello Venus não é lá dos melhores grupos. Elas começaram lançando vários singles aegyo esquecíveis, até embarcarem na onda do sexy concept e das midtempos sensuais que contagiaram a nação em 2014, nos brindando em 2015 com o hino das strippers Wiggle Wiggle e o techno datado e trash Tô Dodói. Mas daí em 2016 elas derraparam feio lançando um monte de singles digitais aguados feito Glow, Paradise e Runway, atrocidades assinadas por Devine Channel, um time de produtores americanos especializados em compor b-sides pra encher linguiça de álbum da SM. Todas essas faixas meia boca viraram b-sides do novo mini do grupo, Mystery of Venus. Mas e o lead single? Tá mais pras faixas boas do grupo em 2015 ou pro material sem graça de 2016?

Continuar lendo “HELLO VENUS não faz feio com Mysterious, mas também não empolga”

O imenso talento de Akdong Musician se faz presente mais uma vez no ~presente para os fãs~ Last Goodbye.

Meu interesse por Akdong Musician tem despencado vertiginosamente de comeback a comeback, mas como começo de ano é sempre paradaço, resolvi reunir forças pra clicar no play do último single deles, mesmo sabendo exatamente o que estava por vir, visto que o comeback tem em seu título e capinha do vídeo no youtube enormes red flags, que indicam sem esconder nada a enorme morte que te aguarda:

Continuar lendo “O imenso talento de Akdong Musician se faz presente mais uma vez no ~presente para os fãs~ Last Goodbye.”

COSMIC GIRLS adiciona mais um clipe legal pra videografia. Yeonjung não grita de novo.

COSMIC GIRLS teve um começo desastroso por conta da falta de direção da Starship, botando o grupo pra fazer aegyo genérico e sexy concept ao mesmo tempo em duas músicas horríveis pro debut. Não tinha nada a ver com o conceito cavaleiras do zodíaco que todos imaginavam de um grupo tendo signos de gimmick. Felizmente o tom de Cosmic Girls foi corrigido pra Secret, que não só foi uma música melhor como também teve um clipe imponente e digno da proposta do grupo (além da adição da icônica Yeonjung). Agora, após o terceiro comeback das treze, chegou a hora de comprovar se Secret de fato recalibrou a imagem das Cosmic Girls ou se aquilo foi apenas um golpe de sorte:

Continuar lendo “COSMIC GIRLS adiciona mais um clipe legal pra videografia. Yeonjung não grita de novo.”

APRIL despacha Sawori pra geladeira da DSP em novo single puro e inocente (e água com açúcar).

Daí que todos sabíamos que April iria voltar #revamped nesse começo de 2017, com a eterna debutante Chaekyung e uma pirralha chamada Raquel de suplentes para Somin e a desistente que eu nem lembro o nome. Mas o line-up não é a única coisa relacionada a April a sofrer mudanças drásticas para a recalibração do grupo. A DSP também sumiu com os conceitos inocentes alegres (e ridículos) tipo o fadinha concept da icônica Tinkerbell e o Alpes Suíços concept da horrível Dream Candy, optando por diluir o diferencial de April (o trash) e transformá-lo num grupo 100% white aegyo de estudantes de colégio de freira feito Lovelyz e GFRIEND. Funcionou?

Continuar lendo “APRIL despacha Sawori pra geladeira da DSP em novo single puro e inocente (e água com açúcar).”