MIXTAPE – JANEIRO’18 (feat. DEZEMBRO’17)

E eis que mais um mês de janeiro se passou, então chegou a hora da quinta (!!!) mixtape mensal dedicada ao primeiro mês do ano aqui no ASIANMIXTAPE. Poisé, galera. O blog está indo para o seu quinto ano de vida, logo logo só terei comeback uma vez ao ano, focarei na carreira de ator e em 2020 deixo de renovar contrato com a agência wordpress após sete anos de labuta, pra tristeza de todos vocês. Mas enquanto esse momento não chega, vamos checar o que teve de melhor em janeiro de 2018, de acordo com meu bom gosto inquestionável.

Continuar lendo “MIXTAPE – JANEIRO’18 (feat. DEZEMBRO’17)”

Anúncios

Pacotão de Oppas (06/02): Infinite, iKON, JBJ e mais uma porrada de comebacks comentados pra vocês

Mais um mês se passou, então é hora de checar os comebacks masculinos de janeiro pra ver se alguns dos oppas de vocês merecem um minuto do meu dia e uma vaguinha na mixtape do mês. Quantos oppas lançarão EDM sofisticado de terninho e choker? Quantos oppas estarão intelectuais de gola alta lançando balada chata? Será que rolará algum oppa vidalok traficante fodão? Vejamos, a começar por Infinite, a boyband com o melhor histórico de todas as que deram as caras esse mês:

Infinite – Tell Me

Continuar lendo “Pacotão de Oppas (06/02): Infinite, iKON, JBJ e mais uma porrada de comebacks comentados pra vocês”

MIXTAPE – MAIO ’16

Após atrasar mais que a nova girlband da YG, a mixtape de maio finalmente dá as caras aqui pra vocês, contendo o que houve de melhor em maio. E não sei pra vocês, mas pra mim parece que 2016 finalmente engrenou, mesmo que pelas mãos de pessoas inesperadas. Venham, povo.

Continuar lendo “MIXTAPE – MAIO ’16”

Jonghyun e Amber tomam uma bala perdida no tiroteio dos solistas da SM. Rezem pela recuperação dos dois.

Eu ia falar dos solos de Jonghyun e Amber num mesmo post com o de Luna, mas quando eu dei por mim já tinha escrito quase quinhentas palavras só sobre Luna, então achei melhor partir o post em dois e falar de Amber e Jonghyun separadamente. Afinal, eu tinha mais pra falar sobre ela do que sobre eles, e achei que Luna merecia um postzinho só seu pelo clipe genuinamente legal. Já Jonghyun e Amber por sua vez não estão ruins, mas meio que empalideceram por estarem sanduichados entre duas músicas superiores recentemente lançadas (I Just Wanna Dance e Free Somebody).

[JONGHYUN – SHE IS]

Continuar lendo “Jonghyun e Amber tomam uma bala perdida no tiroteio dos solistas da SM. Rezem pela recuperação dos dois.”

MIXTAPE – JANEIRO’15 FEAT. DEZEMBRO’14

Após minhas mixtapes mensais ganharem uma folga por conta do meu top100 de 2014 (e também porque em dezembro só tivemos a icônica Shannon dançando na chuva, músicas natalinas e bostas genéricas), elas estão de volta para 2015, dessa vez com as melhores de janeiro e com alguma sobra de dezembro que não foi contemplada de alguma maneira ou de outra por aqui.

Só não esqueçam que como sempre isso aqui se trata da minha opinião então se vocês sentirem falta de, sei lá, INFINITE H, o solo meia boca de Soyul do Crayon Pop, o último single terrível de U-KISS ou ainda do lançamento bondage de AKB48, é porque eu achei todos uma bosta… ou eu simplesmente não tava sabendo que eles existiam, claro. 

Continuar lendo “MIXTAPE – JANEIRO’15 FEAT. DEZEMBRO’14”

Jonghyun debuta com Crazy (Guilty Pleasure). Não é louco e nem um prazer culposo.

Daí que muita gente tem perguntado minha opinião sobre esse solo do JongHyun do SHINee, já que eu estava relativamente empolgado depois do anúncio umas semanas atrás. E acho que não só eu, mas sim todos vocês, principalmente quando a SM descreveu o single do EP como sendo um “midtempo pop retrô inspirado em neo-soul punk”, afinal, todos queríamos saber exatamente que porra isso significava. O nome aumentou ainda mais a expectativa pelo single, afinal, “LOUCO (PRAZER CULPOSO)” tinha tudo pra ser a. melhor. coisa. de. 2015. (ignorem o fato de 2015 ter tido tipo dez dias até aqui), mas o resultado final chegou e… é, né. Faltou alguma coisa.

Continuar lendo “Jonghyun debuta com Crazy (Guilty Pleasure). Não é louco e nem um prazer culposo.”