Quem não tem Sports Chosun, caça com Nikkei Entertainment: saiu o top15 de girlbands japas mais populares de 2016

Bem, já que a SPORTS CHOSUN desistiu de lutar a boa luta e resolveu simplesmente NÃO POSTAR seu top de girlbands do k-pop para 2016, pelo menos podemos contar com a Nikkei Entertainment tendo bolas e segurando as pontas postando sua listinha para o j-pop. Lembrando que a lista da Nikkei Entertainment não tem escalões épicos feito “parede inquebrável”, também não se baseando em vendas. Ao invés de vendas, o ranking da Nikkei tem como base “familiaridade” e “nível de interesse”. No caso, é feita uma pesquisa em que os entrevistados (pessoas comuns) devem responder se estão familiarizados com os atos (os reconhecem fisicamente e por nome) e se tem algum interesse neles e em seus trabalhos. O resultado de 2015 vocês checam aqui, e o de 2016 vocês checam clicando no leia mais.

Continuar lendo “Quem não tem Sports Chosun, caça com Nikkei Entertainment: saiu o top15 de girlbands japas mais populares de 2016”

Anúncios

MIXTAPE – FEVEREIRO ’16

Após um janeiro meio morno pra grande lançamentos, fevereiro veio cheio de gente lançando coisa no k-pop. Infelizmente nem tudo prestou, já que tivemos EPs inteiros sendo descartáveis e o lançamento da música mais mediana da história da terra. Mas como ainda assim rolaram uns singles aproveitáveis aqui e ali, uma seleção segue abaixo pra vocês.

Continuar lendo “MIXTAPE – FEVEREIRO ’16”

Momoiro Clover Z lança seus terceiro e quarto LPs ao mesmo tempo. Finalmente lançam singles que funcionam sem o PV.

Eu vou ser honesto aqui. Quando eu ouvi Perfume pela primeira vez, achei uma bosta. Quando ouvi kyary pela primeira vez, também. Eu comecei a curti-las pelo visual psicodélico dos clipes e eventualmente a música clicou comigo. Eu sempre achei que com Momoiro Clover Z a mesma coisa fosse eventualmente acontecer, porque os gimmicks que elas usam sempre são incríveis. Seja por elas forçarem Kitagawa Keiko a virar idol por um dia, seja por emularem Dragon Ball Z e Sailor Moon, assistir os clipes de Momoclo sempre vale a pena. Mas os vocais delas sempre me soaram amadores demais e as músicas nunca funcionaram sem os PVs de acompanhamento… ou eu simplesmente não tolero denpa music (único ponto fora da curva sendo o feat com o KISS). Entra ano e sai ano e eu acho que vai ser dessa vez que eu vou curti-las pra valer, e isso nunca acontece. Mas eis que Momoiro Clover Z resolveu entrar em 2016 chutando o pau da barraca com a megalomaníaca estratégia de lançar dois álbuns simultâneos, cada um com seu lead single próprio. A estrategia exagerada e ridícula prendeu minha atenção e me dei ao trabalho de ver/ouvir os dois lead singles, e eu surpreendentemente curti os dois:

[MAHALO VACATION]

Continuar lendo “Momoiro Clover Z lança seus terceiro e quarto LPs ao mesmo tempo. Finalmente lançam singles que funcionam sem o PV.”

Japão também quer ter fanwars, então a Nikkei Entertainment lançou seu ranking de girlbands. o/

Eu tenho grande admiração pela Sports Chosum e pelo trabalho sério e jornalístico que eles fazem anualmente com seu top de girlbands mais relevantes do capope. O que eu não sabia era que a Nikkei Entertainment faz a mesma coisa para girlbands do j-pop (o que pensando aqui é totalmente ingênuo da minha parte, enfim), e nessa semana eles acabaram de revelar seu mastodôntico ranking. A lista é compilada baseada em dois preceitos interessantes. Ao invés de vendas, ela tem como base “familiaridade” e “nível de interesse”. No caso, é feita uma pesquisa em que os entrevistados (pessoas comuns) devem responder se estão familiarizados com os atos (os reconhecem fisicamente e por nome) e se tem algum interesse neles e em seus trabalhos. O resultado talvez surpreenda vocês (pelo menos a mim surpreendeu):

Continuar lendo “Japão também quer ter fanwars, então a Nikkei Entertainment lançou seu ranking de girlbands. o/”

Z no Chikai é meia boca, como esperado. O clipe é deus, também como esperado.

Vamos tirar isso logo do caminho: Z no Chikai, a música, é fraquinha. Em momento algum a faixa se decide entre as influências orientais da introdução, o metalzão dos versos e o idol pop do refrão. Z no Chikai quer ser tudo ao mesmo tempo, e por conta disso o resultado final é caótico e decepcionante. Talvez sem a guinada kawaii do refrão as coisas fluíssem melhor, mas agora já foi. Nem vou reclamar sobre isso porque eu obviamente não. estou. aqui. para ouvi-las cantar, mas sim pelo limite entre o tosco e o incrível ficando totalmente nebuloso nos clipes. E isso felizmente nós tivemos de sobra. ❤

Continuar lendo “Z no Chikai é meia boca, como esperado. O clipe é deus, também como esperado.”

Sua infância. não. está. segura: Após destruírem Sailor Moon, MomocloZ ataca Dragon Ball Z. *O*

Momoiro Clover Z tinha morrido pra mim após aquele cover terrível de Moonlight Densetsu que elas lançaram. Mas após o apocalíptico encontro delas com o KISS, eu tinha perdoado o que aconteceu no passado e estava disposto a abraçar o novo single delas, dependendo da qualidade do mesmo… mas considerando que elas são as responsáveis pela música tema do 69° filme de Dragon Ball Z e já confirmaram a destruição de CHA-LA HEAD-CHA-LA em mais um dos covers horríveis delas, acho que terei de voltar atrás e voltar a odiá-las… ou o resultado final pode ser tão ruim que eu passarei a gostar ainda mais dessas toscas, AINDA NÃO ME DECIDI TOTALMENTE, COMPREENDAM.

Tipo, o A-Side (Z no Chikai) obviamente será uma bosta, assim como o cover, mas essas imagens promocionais delas fantasiadas de Freeza estão TÃO toscovilhosas que eu estou secretamente ansioso pelo PV dessa merda. VENHAM TRAZER PRAZER PROS MEUS OLHOS E VERGONHA ALHEIA PROS MEUS OUVIDOS, GOSTOSAS. *O*

Continuar lendo “Sua infância. não. está. segura: Após destruírem Sailor Moon, MomocloZ ataca Dragon Ball Z. *O*”